8 Filmes da NetFlix que são uma Verdadeira Lição de Carreira

Postado por em Blog de Franquias


Neoncar Tuning DUB - Franquia de Acessórios Automotivos
Neoncar Tuning DUB - Franquia de Acessórios Automotivos

http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/8-filmes-da-netflix-que-sao-uma-verdadeira-licao-de-carreira?trk=pulse-det-art_view_ext



Procurando uma Franquia ? CLIQUE AQUI!
Receba nossa Newsletter

Leia Mais

Os 10 Erros mais Comuns que Franqueados Cometem

Postado por em Blog de Franquias


Spice Sex Shop - Franquia de Sex Shop
Spice Sex Shop - Franquia de Sex Shop

OS DEZ ERROS MAIS COMUNS QUE FRANQUEADORES COMETEM

NO INÍCIO DO FRANQUEAMENTO (FORMATAÇÃO):

1) Criar mais de um modelo para a mesma franquia. Muitos franqueadores desenvolvem várias formas de expansão para o negócio: loja, quiosque, córner, etc., e modificam os produtos oferecidos nos balcões dependendo do formato do negócio, região ou estado. Fuja dessa atitude. A flexibilidade dos formatos de negócio devem vir depois, quando a marca já está consolidada, a longo prazo, pois corre o risco de apagar o padrão que diferencia a rede e a identidade da marca.

2) Expandir a todo custo. A expansão da rede se dará com bons resultados obtidos pelos franqueados, e nunca pelo número de lojas. Quem expande o negócio é a rede de franquias, demonstrando rentabilidade aos novos candidatos. O foco do franqueador deve ser assessorar a nova unidade como se fosse sua, baseado na experiência adquirida com as unidades piloto.

3) Vender franquias sem nunca ter operado lojas próprias. Venda de lojas ou unidades virtuais não é venda de franquia, mas sim de idéias. É outro tipo de negócio. Venda de franquias na essência é transferir o know how obtido com experiência no mercado. Há além da necessidade da aceitação dos produtos e serviços oferecidos ao mercado consumidor a real necessidade de possuir experiência na gestão do negócio no formato de franquias, além da comprovação da rentabilidade. Como pode vender ou transferir conhecimento de algo que ainda não aconteceu? Isto é vender idéias e não franquias.

4) Considerar a franquia um meio de venda, no caso de produtos, um canal de distribuição. O sistema de franchising é um canal de expansão, de consolidação da marca, que visa a comercialização de produtos. Mas nunca começar com esta visão. Grande parte dos franqueadores brasileiros priorizam a venda de seus produtos ao invés de priorizar a operação das unidades franqueadas e sua rentabilidade.

5) Dimensionamento da estrutura inadequada. É comum nas redes de franquia achar que pode abrir unidades em diversas regiões ao mesmo tempo, ou até mesmo internacionais, pois geralmente há demanda para o negócio que é novidade no mercado. A estrutura deve ser dimensionada de acordo com o potencial de suporte regional da expansão. Iniciar com unidades em regiões específicas, e preparar o suporte para o crescimento, tomando o cuidado de só praticar a expansão em regiões que possa atender as necessidades do franqueado. Quase sempre é necessário uma experiência regional antes de praticar a expansão por inteiro, inclusive internacional.

DURANTE O DESENVOLVIMENTO (EXPANSÃO):

6) Seleção dos franqueados. É muito difícil dizer não a um candidato com potencial de investimento e local adequado para a instalação da unidade quando este não condiz com o perfil ideal do franqueado para aquele tipo de negócio. Mais uma vez pode haver a repetição dos erros da expansão a todo custo, priorização da venda de produtos,etc. Neste caso, é recomendado aprovar o candidato se for o caso, indicando a contratação de um profissional responsável pela gestão do negócio.

7) Evitar corretores de franquias. Para o sucesso de qualquer empreendimento há a necessidade de investimento em makketing e vendas. O objetivo é atingir o público alvo, neste caso candidatos a franquia. Os corretores de forma geral estão muito mais interessados na comissão sobre a venda do que na expansão do negócio.O candidato procura um negócio rentável, que o agrade, mas que principalmente cresça e tenha solidez, para perpetuação no mercado, e não uma oportunidade de ganho além do que técnicas de venda não funcionam como em outros negócios. A a Lei 8.955/94 prevê o prazo mínimo de 10 dias entre o recebimento da COF e assinatura do Contrato de Franquia, para que o candidato reflita intimamente sobre o negócio.

DURANTE A MANUTENÇÃO E RENOVAÇÃO

8) Não estabelecer boa política de território. A médio prazo a política de território pode influenciar negativamente no negócio. Uma política que vise a canibalização prejudica o futuro e manutenção da rentabilidade da unidade instalada em uma determinada região.Por outro lado, uma política muito aberta e regiões extensas pode abrir espaço demasiado para a concorrência, tanto de produtos similares como de franquias semelhantes.

9) Não dar continuidade operacional na renovação. Não se trata apenas de renovação do contrato, mas sim de revitalização da parceria. É necessário reciclar os conceitos do franqueado, manter seus programas de treinamento, que já atingiu um momento de maturidade. Não é mais aquele perfil do início do contrato, que dependia 100% do franqueador para qualquer passo. É hora de no mínimo aplicar treinamento para as próximas fases do negócio.

10) Não renovar o produto franquia. O produto franquia como qualquer outro deve ser atualizado, sob risco de se tornar obsoleto. Agora é a hora de oferecer ao franqueado mais opções de produtos, formatos de negócio com mais pontos de venda ou mesmo adequação ao ponto ideal.

Em contrapartida, os 10 acertos mais comuns ou os itens que devem ser observados no momento da formatação são:
– Criar modelo definitivo e único de franquia
– Manter foco na rentabilidade da rede de franquias e não na quantidade de lojas
– Experimentar gestão do negócio no formato da franquia
– Priorizar a consolidação da marca e não somente a venda de produtos
– Vender franquias nas regiões em que pode fornecer o suporte que o franqueado necessita
– Definir perfil e selecionar franqueados ideais
– Concentrar as vendas através do próprio franqueador
– Estudar e planejar a política de território com visão mais futurista possível
– Reciclar conceitos, preservar padrões e sempre manter Programas de Treinamento
– Renovar contratos com foco no mercado e atualizar formato do negócio e produtos

Publicado na revista ” Meu Proprio Negocio ” – SP , ” Franquia in Foco ” – RJ e sites de franquias.

José Mauricio Guimarães é Administrador de Empresas formado pela Facesp em São Paulo e atua como Consultor de Franquias e Gestão Empresarial.
Especializado em Planejamento, Programas de Qualidade e Gerenciamento de Projetos de Expansão.



Procurando uma Franquia ? CLIQUE AQUI!
Receba nossa Newsletter

Leia Mais
Página 1 de 812345678