3 Dicas para Facilitar sua Vida Financeira

3 Dicas para Facilitar sua Vida Financeira



3 Dicas para facilitar sua Vida Financeira

Para garantir a aposentadoria e ter sempre dinheiro em mãos suficiente para suprir os gastos mensais durante grande parte de sua vida, é preciso ter equilíbrio tanto na hora de gastá-lo quanto na hora de poupá-lo.

3 Dicas para facilitar sua Vida Financeira

Algumas pessoas caem na armadilha de guardarem dinheiro exageradamente, acreditando que essa é a forma mais segura de garantir melhores dias no futuro. Em alguns casos, essa teoria pode até funcionar, mas saber investi-lo corretamente é ainda mais recompensador.

No entanto, optar por simplificar a sua vida financeira é o melhor método para que ela não lhe traga problemas e frustrações futuramente. Em tempos onde o desemprego pode bater a sua porta e o aumento da inflação também é uma realidade, ter equilíbrio e cortar gastos desnecessários pode ser a melhor experiência.

Confira abaixo 3 Dicas para facilitar sua Vida Financeira.

1. Tenha um aplicativo ou programa para organizar seus gastos
Não deixe tudo para o seu cérebro. Ele pode se esquecer e você pode gastar além do que era previsto. Além disso, ter um controle visível sobre a sua vida financeira é muito melhor para você saber exatamente o que está gastando e quais os gastos que podem ser cortados.

2. Organize a sua carteira
Simplifique a sua carteira. Não leve sempre documentos, dinheiro ou cartões de crédito que você não utiliza. Se você focar todas as suas contas em um único cartão, dificilmente irá se esquecer de pagá-lo ao final do mês. Além disso, com pouco dinheiro na carteira você irá gastar muito menos por impulso.

3. Poupe uma quantidade fixa todo mês
Poupar é extremamente importante para ter uma vida financeira saudável. No entanto, não seja paranóico de viver sempre poupando qualquer dinheiro que você ver em sua mão. Para encontrar um equilíbrio quanto a isso, defina um valor mensal para você poupar.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
5 Estratégias para a sua Empresa continuar crescendo apesar da Crise

5 Estratégias para a sua Empresa continuar crescendo apesar da Crise



5 Estratégias para a sua Empresa continuar crescendo apesar da Crise

Algumas empresas conseguem crescer mesmo diante de uma crise financeira. Isso acontece porque elas sabem se planejar e traçar metas estratégicas para driblar as dificuldades e explorar nichos e públicos que continuam sendo receptivos aos seus produtos e serviços apesar de problemas econômicos.

5 estratégias para a sua empresa continuar crescendo apesar da crise

Mesmo que a sua empresa não seja afetada por qualquer tipo de crise financeira, ela pode ter que lidar com os desafios de uma maior concorrência, variação cambial ou algum revés causada por um erro vindo de dentro de sua companhia. Seja qual for o problema, sua empresa pode continuar crescendo se houver planejamento e estratégia.

Acompanhe abaixo 5 estratégias para ajudar a sua empresa a crescer apesar da crise.

1. Investimento em marketing
Muitos empreendedores deixam de investir em marketing e em publicidade quando se deparam com uma crise. Isso é um grande erro, visto que isso desacelerará ainda mais as vendas de um negócio. O ideal é otimizar os gastos, injetando dinheiro em canais de marketing que realmente funcionam. Ou seja, não é um momento para testar novas formas de marketing ou propaganda, mas sim de destinar todo o seu orçamento nos modelos que dão certo.

2. Lance novos produtos/serviços
Se o seu produto/serviço está sendo dispensado pelos consumidores que estão com menos dinheiro no bolso, você pode optar por lançar um novo produto para eles, que seja mais barato e que mantenha certas propriedades que mantinham eles interessados. Ou você pode optar por uma outra estratégia e lançar um produto ou serviço premium, destinado aqueles que não estão sendo afetados pela crise.

3. Apostar no segmento que proporciona maior lucro
O momento de crise é hora de concentrar suas forças no que realmente traz dinheiro para a sua empresa. Concentre-se nas vendas que proporcionam maior lucro. Em muitos casos, os produtos que trazem mais lucros podem diminuir todo o esforço de vendas de sua equipe, visto que eles precisarão vender menos e ainda assim continuarão a trazer um bom dinheiro para o seu negócio.

4. Ofereça novas formas de pagamento
Talvez você não precise conquistar o seu cliente novamente em meio a crise. Tudo o que ele precisa é de um novo método de pagamento ou de maiores parcelas, que possam caber em seu bolso. Ofereça maiores prazos ou estenda o número de parcelas das compras.

5. Reduza a sua empresa
O momento de crise é hora de pensar no que não está funcionando no seu negócio. Talvez seja necessário cortar gastos, reduzir departamentos e fazer dispensas. No entanto, tome muito cuidado para não dispensar funcionários que estão envolvidos com os projetos da empresa e que realmente desejam fazer a diferença. As soluções podem sair destes funcionários. A ideia de diminuir a atuação de sua empresa é reduzir os gastos para que os lucros possam aumentar.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
O que é e como funciona o micro-crédito

O que é e como funciona o micro-crédito



O que é e como funciona o microcrédito

Você sabe o que é e como funciona o microcrédito? Está precisando de dinheiro para seu negócio próprio?

O microcrédito, de forma geral, é concedido a pessoas físicas e microempreendedores formais ou informais, que possuem dificuldade de acesso ao sistema financeiro tradicional, principalmente por não terem meios de comprovar sua renda.

O que é e como funciona o microcrédito

Para pessoas físicas ou de baixa renda, o limite é de R$ 2 mil. Para quem faz parte do PNMPO, o limite é de R$15mil.

Pessoas físicas que pretendem abrir o próprio negócio também podem requerer microcrédito de até R$ 5 mil. O prazo para amortização vai até 48 meses. O microcrédito pode ser obtido em agências de fomento, cooperativas de crédito, Sociedades de Crédito ao Microempreendedor (SCM) e bancos, principalmente federais.

Como funciona o microcrédito em termos de taxas de juros

Os juros do microcrédito variam conforme a instituição, mas, teoricamente, devem ser mais baixos do que os juros cobrados no crédito pessoal. Há a cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

No caso do Crescer, os juros caem de 60% para apenas 8% ao ano. A Taxa de Abertura de Crédito (TAC) também reduziu de 3% para 1% sobre o valor do crédito.

As garantias exigidas para o microcrédito são apresentar um avalista ou formar um Grupo Solidário, que consiste em uma reunião de três ou mais pessoas com pequenos negócios e necessidade de crédito, que confiam umas nas outras, e se comprometam a assumir a responsabilidade dos empréstimos feitos ao grupo.

Instituições habilitadas a oferecer o microcrédito

Banco do Brasil

O Banco do Brasil opera com o Crescer nas modalidades de capital de giro e de investimentos. O prazo de amortização vai até 36 meses e o reembolso é mensal. Para atrair os empreendedores, o Banco do Brasil está fazendo um movimento oposto ao tradicional.

Em vez de esperar os empresários irem até as agências, funcionários do banco irão até onde se concentram esses empreendedores que são potenciais beneficiários do Crescer.

Caixa Econômica Federal

Por meio do Crescer, a Caixa Econômica oferece crédito para investimentos e capital de giro.  O prazo para quitar o financiamento no caso do capital de giro é de quatro a seis meses. Já no microcrédito para Investimento, o prazo médio fica entre 12 e 24 meses.

Para entender melhor como funciona o microcrédito da Caixa, o programa tem como metodologia o relacionamento direto com os empreendedores nas suas localidades. Além disso, prevê assistência e orientação técnica no planejamento do negócio.

Para fechar o contrato, são feitas avaliações da atividade e da capacidade de endividamento de cada cliente, e os empreendedores são acompanhados e orientados por agentes de microcrédito.

A Caixa pretende dá atenção especial às mulheres autônomas. Mulheres que trabalham por conta própria podem formar grupos solidários e, assim, receber a visita de um agente de microcrédito, que dará as orientações necessárias para realização de seus projetos.

Também merecerá atenção especial o público beneficiado pelo Bolsa-Família, que conta com 1,2 milhão de famílias com perfil empreendedor.

Banco do Nordeste

O Banco do Nordeste conta com o Crediamigo, voltado para Microempreendedores que faturam até 120 mil reais por ano.  Criado em 1998, o programa agora passa a ser inserido no Crescer. Serão oferecidos até 15 mil reais para capital de giro e até 8 mil reais para investimentos.

O Crescer no Banco do Nordeste é oferecido a grupos solidários – de três a oito empreendedores se reúnem para tomar empréstimos, e se avalizam mutuamente. No caso do capital de giro, o prazo de amortização é de até 12 meses. Para investimentos, chega a 36 meses.

O Banco do Nordeste atua em todos os Estados da região Nordeste, além do Norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo. Há dois anos, também oferece o Crediamigo no Rio de Janeiro. A instituição já atendeu 943 mil microempreendedores com esse perfill.

Banco da Amazônia

Por meio do Amazônia Florescer, o Banco da Amazônia oferece microcrédito desde 2007 a diversos microempreendedores físicos, jurídicos ou MEI. Com o Crescer, o microcrédito continuará sendo oferecido, mas com uma taxa de juros mais baixa: passará de 3,8 % ao mês para 0,6%.

Para MEIs e pessoas físicas – chamados de empreendedores populares – o crédito será oferecido na forma de grupos solidários. Nesse caso, de três a oito pessoas se reúnem para obter crédito e todos ficam responsáveis pela operação.

Agora que você já sabe o que é e como funciona o microcrédito, já pode colocar mais essa ferramenta em seu projeto de negócio.

Agora que você já sabe como funciona o microcrédito, pode colocar mais esta opção em sua lista de possíveis fontes de financiamento para o seu negócio.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Armadilhas Mentais sobre o Dinheiro

Armadilhas Mentais sobre o Dinheiro



Armadilhas mentais sobre o dinheiro que você deve evitar

Uma grande parte das pessoas no Brasil tem origem em famílias pobres ou de classe média e por isso acabam crescendo atormentadas por pensamentos comuns a pessoas pobres e da classe média.

Se você foi educado como eu, por pais que tinham muita disposição de trabalho, mas poucas oportunidades para conquistar sua independência financeira, então há uma boa chance de você ainda estar preso a armadilhas mentais sobre o dinheiro que continuam a mantê-lo prisioneiro.

Armadilhas Mentais sobre o Dinheiro

O famoso Caco Antibes, personagem de Miguel Falabella no programa Sai de Baixo, já dizia que o problema é “pensar como pobre”. É isso mesmo, muita gente não alavanca, porque ao invés de assumir o desafio de ganhar dinheiro e vencer, fica preso a conceitos e mitos que as prendem à uma situação desfavorável.

É sabido que as pessoas ricas e bem sucedidas trabalham seus pensamentos sobre o dinheiro, riqueza, finanças e investimentos de forma diferente, e isso é um dos motivos para elas terem alcançado o ponto que alcançaram. Vejamos então algumas armadilhas mentais sobre o dinheiro que podem estar impedindo o seu desenvolvimento.

O dinheiro não traz felicidade

Quantas vezes você já não ouviu isso, principalmente saindo da boca de alguém que não conseguiu ganhar dinheiro e conquistar sua vaga no clube das pessoas ricas? Se o cara não sabe o que é ter dinheiro, como sabe que ele não traz felicidade. O erro já começa por ai.

Dá para imaginar essa turma ai do lado com o cheque especial estourado, cartão de crédito atrasado e contas penduradas?

Eu nunca conheci uma pessoa rica que tinha como objetivo ser feliz enquanto eles estavam tentando ganhar dinheiro. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Durante toda a minha vida eu não estava na busca pela felicidade. Eu estava buscando um padrão de vida, onde eu sou livre para fazer o que eu quero fazer e o que eu mais amo.

Sei que existem pessoas felizes e infelizes. Minha esposa é a pessoa mais feliz que eu conheço e é feliz, independentemente de quanto dinheiro ela tem. Garanto-lhe que ela gosta de ter a liberdade de gastar dinheiro sem estar sempre preocupada. O dinheiro não tem o poder de fazer você feliz ou infeliz. Afinal de contas, é só dinheiro mesmo.

O dinheiro é a origem de todos os males

Em primeiro lugar, a citação está errada. O ditado original é “O amor ao dinheiro é a origem de todos os males”. Esse ditado tem sido transmitido de forma imprecisa e criou-se o falso conceito de que o dinheiro é de alguma forma uma coisa ruim. Ser rico é um direito seu, não há nada de errado com isso.

Bill Gates disse em uma aula de faculdade “Se você nasceu pobre não é culpa sua, continuar sendo pobre é”. Eu acredito que mal é não ser capaz de sustentar minha família, financiar a minha igreja, fazer uma viagem,  fazer meu negócio crescer e alimentar meus sonhos. Isso sim é ruim.

Quanto mais dinheiro mais problemas

Essa é mais uma daquelas máximas de quem tenta se justificar por não ter conseguido ganhar dinheiro ou então quebrou. Isto é simplesmente uma ideia que aqueles sem dinheiro usam para justificar ter menos ou ter quebrado.

A verdade é que quanto mais dinheiro você tiver, maior será o seu nível de controle sobre suas escolhas em todos os aspectos da sua vida. Se você está sentado em um assento de primeira classe, isso não significa que você não terá um bêbado sentado ao seu lado. Comprar seu próprio jato permite que você controle quem fica nele, mas agora você tem que contratar dois pilotos, um mecânico e abastecer o avião. Mais dinheiro pode significar novos problemas, e não mais problemas, muito pelo contrário.

Dinheiro não dá em árvore

Quem anda por ai espalhando esse conceito na verdade está sugerindo que o dinheiro é limitado e escasso. Há alguma coisa em torno de US $ 134,000,000,000,000 neste planeta – a maioria dos quais está apenas representado por dígitos em contas bancárias, contas de investimento e afins.

A única falta de dinheiro neste planeta está na cabeça das pessoas que não têm dinheiro. Portanto, levante-se e vá conquistar uma parte deste dinheiro que anda passeando por ai e pare de tentar arranjar uma desculpa para não ser bem sucedido.

É preciso ter dinheiro para ganhar dinheiro

A realidade é que mais de três quartos de todos os milionários de hoje, são milionários de primeira geração. Isso significa que as pessoas comuns ficaram ricas porque elas tiveram a coragem de implementar suas ideias.

A frase, “é preciso ter dinheiro para fazer dinheiro” é totalmente incorreta. É preciso dinheiro para ganhar mais dinheiro. Embora mais tarde na vida das pessoas ricas, elas usem o seu dinheiro para criar riqueza, no começo elas só tinham mesmo a coragem e persistência para criar dinheiro. Esta crença de que você precisa em primeiro lugar ter dinheiro para então ganhar dinheiro, transforma você em uma vítima e não lhe dá nenhuma saída.

Outro dia, outro dólar

Os trabalhadores no mundo inteiro estão vendendo tempo por dinheiro todos os dias. O seu tempo vale $10 a hora ou $50 a hora. Não importa o valor, o fato é que você está vendendo o seu tempo, e se analisar bem, você não tem muitas horas por dia para vender.

As pessoas ricas trocam dólares por tempo, porque elas sabem que o tempo é muito mais valioso do que o dinheiro. Recusando-se a trocar seu dinheiro pelo tempo de outras pessoas, muita gente acaba acreditando que a única maneira de ganhar mais dinheiro é trabalhar mais horas.

Para se ganhar dinheiro é preciso trabalhar com ele sem se prender à questão do tempo.

Maior não é necessariamente melhor

Completamente errado. Maior é sim melhor e mais estimulante. Pare agora mesmo de pensar pequeno. As melhores empresas do mundo são grandes. Ficar pensando pequeno é um completo desperdício de energia que poderia estar sendo empregada no crescimento. Eu falo sobre isso em A Regra 10X – almejar um objetivo 10 vezes maior do que você acha que é necessário. É mais divertido e vai lhe dar uma chance de sucesso maior.

Ao longo dos últimos 12 meses eu entrevistei mais de 50 empresários muito bem sucedidos que dirigem empresas de milhões de dólares, que começaram com nada. Quase todos eles me confessaram que seu maior arrependimento foi não pensar grande desde o início.

Dinheiro poupado é dinheiro ganho

Se você acreditar nisso, jamais conseguirá sua independência financeira. Se você ficar pensando em centavos, no final de tudo só terá isso mesmo, centavos. Economizar não é errado, muito pelo contrário, é um hábito que as pessoas ricas costumam cultivar.

O problema é que muita gente fica focada nessa história de poupar e acaba se esquecendo da parte mais importante da estratégia, que é ganhar mais dinheiro.

Ninguém jamais ficou rico apenas poupando, você fica rico ganhando mais, não tem mágica alguma. Dinheiro não dá cria. Nunca ouviu isso?

Qualquer pessoa rica irá lhe dizer qualquer um pode ficar rico. O grande desafio é se livrar desses “pensamentos de pobre” e encarar o desafio de vencer. Para ganhar dinheiro, em primeiro lugar você precisa ter uma atitude vencedora. O resto vem junto.

Lembre-se, você está cercado por pensamento limitado, a maioria das pessoas vivem de salário em salário. Pelo visto, tem um monte de pessoas por ai trabalhando com o pensamento ou a informação errada.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
7 Passos para Captar Recursos e Empreender

7 Passos para Captar Recursos e Empreender



7 Passos para Captar Recursos e Empreender

Para muitos empreendedores, o momento de conseguir capital para fazer o negócio avançar é a hora da verdade. Isso porque buscar investidores ou tomar empréstimos requer tempo, preparo e planejamento. Ao longo da minha carreira, várias vezes ouvi de empreendedores boas razões pelas quais precisavam de recursos. Isso ocorre porque raramente os planos funcionam como esperado.

Infelizmente, a maioria dos empreendedores só recorre a um agente financeiro quando esgotou suas possibilidades, já está estressado e com o fluxo de caixa comprometido. Nessas circunstâncias, vai acabar ouvindo um não, ou tendo que aceitar um empréstimo a taxas de juros muito salgadas. Parece crueldade, mas não é. Você arriscaria seu capital numa empresa nessas circunstâncias?

7 Passos para Captar Recursos e Empreender

Planejar-se para a captação de recursos, antecipando riscos, é essencial para a saúde do seu negócio e é mais fácil conseguir uma boa linha de crédito quando você tem um saldo positivo no banco, por exemplo. Mas o empreendedor, focado naquilo que sabe e gosta de fazer, costuma deixar em segundo plano os cuidados com esse “pequeno detalhe”. Para o empreendedor ter sucesso na captação de recursos, apresento sete passos.

Nenhum negócio cresce sem dinheiro

O primeiro é o mais óbvio: se você quiser crescer, tenha certeza que vai precisar de recursos de terceiros. Portanto, prepare-se.

Entenda de onde podem vir os recursos

O segundo é tentar compreender as diferentes fontes de recursos existentes. Hoje, além do banco, o mercado oferece fundos de venture capital e privaty equity, além de soluções como o crowdfunding (plataformas de financiamento coletivo) e as doações, que podem ocorrer para projetos que tenham impacto social ou ambiental positivo.

Qual será a melhor alternativa

O terceiro passo é descobrir qual dessas alternativas é a mais adequada. Se você tem uma empresa iniciante, dificilmente receberá investimentos de um fundo que negocia grandes valores.

Existe a opção de convencer centenas de microinvestidores a acreditarem no seu negócio e investirem em você por meio de um site de crowdfunding ou conseguir acessar um investidor anjo disposto a correr o risco e colher frutos com você.

Prepare-se para convencer os outros

Seja qual for a alternativa, o quarto passo é preparar-se para convencer que seu negócio é dinâmico, saudável e tem grandes chances de sucesso. Seja convincente e apresente fatos bem fundamentados que possam comprovar o seu discurso.

Organize-se

Para contar essa história, no quinto passo, você precisará conhecer bem seu modelo de negócio, além de organizar a documentação e informações que qualquer emprestador ou investidor exigirá. É preciso ter fluxo de caixa, balanços e documentos financeiros-contábeis, assim como projeções organizadas.

Seu nome não pode estar sujo na praça e você precisará levantar as certidões negativas que existem. No setor financeiro, credibilidade e argumentos fundamentados em dados consistentes fazem a diferença.

Negociações costumam ser longas

O sexto passo é preparar-se para uma negociação longa. E, se você estiver buscando um investidor, várias decisões difíceis terão que ser tomadas. Por exemplo, qual o valor do negócio e de cada cota?; quais serão as regras da sociedade e as responsabilidades de parte a parte? Tenha sangue frio e seja honesto.

Saiba gerir os recursos

Finalmente, o dinheiro chegou e é preciso saber cuidar muito bem dele. A sétima regra é saber gerir os recursos que tomou. Seja porque precisará pagá-lo com juros ou porque o novo investidor exigirá um negócio em franca expansão. É preciso se esforçar para que o dinheiro novo seja realmente empregado para o negócio deslanchar.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Como sobreviver à Crise Econômica

Como sobreviver à Crise Econômica



Como sobreviver à Crise Econômica e até sair dela melhor

A pergunta que não quer calar na cabeça de todo empreendedor é como sobreviver à crise econômica que assola o país e não deixar que todo seu trabalho se transforme em pó.

A etapa da negação, quando os mais otimistas ainda achavam que era tudo passageiro, já foi devidamente sepultada pelos péssimos números apresentados pela economia nos últimos meses. Agora é definitivo: a crise econômica está ai.

Como sobreviver à crise econômica

Agora é hora de encarar a realidade e assumir o controle da situação, antes que as coisas se tornem tão críticas que não se possa mais controlar ou que o custo para assumir este controle seja maior do que o patrimônio em si.

Comece por você e corte na carne

Se você quer saber como sobreviver à crise, comece cortando na própria carne. Sabemos que esse é um conselho que muitos empresários não gostam de ouvir, mas a primeira coisa a fazer é justamente começar as medidas de contenção por você mesmo.

O pro labore de tempos de crise, por uma questão de coerência com o cenário negocial, não pode ser igual ao dos momentos de bonança. Se a receita esta é baixa, um bom ponto para fazer uma revisão é na retirada mensal que você faz na empresa.

Alguns empresários maquiam sua situação pessoal, mantendo um pro labore elevado, como se não estivesse acontecendo nada, mas na verdade, este pro labores está sendo pago com dinheiro pego emprestado em bancos. Com as taxas de juros atuais, é suicídio!

Reveja seu mix de produtos

Outra boa dica para quem quer saber como superar a crise é analisar e criticar seu mix de produtos, tenha você um comércio, uma indústria ou empresa de prestação de serviços. Não se apegue a tradições e nem deixe que o comodismo lhe impeça de mudar. Uma das maneiras de sobreviver à crise econômica é saber se adaptar.

Se o seu produto ou serviço não se enquadra no cenário atual, busque novas alternativas e até mesmo mercado. Busque identificar novas tendências e oportunidades que possam estar surgindo nestes tempos de crise e parta para uma nova fase do seu negócio. Aproveite sua base instalada para conquistar novos mercados.

Reveja seus processos

O lado nefasto dos tempos de economia em alta e mercado bom é que muitas vezes os empreendedores relaxar em termos de controle de processos e custos. A armadilha de se colocar na zona de conforto e não fazer uma revisão desses processos e custos pode ser fatal.

Quando as margens de lucro são amplas, é comum que as pequenas e médias empresas não façam uma análise mais criteriosa de suas estruturas de custos, repassando estes para o preço ao consumidor. Em tempos de crise essa oportunidade não existe.

Reavalie sua política de preços

Outra dica importante para que está esta em busca de soluções de como sobreviver à crise é fazer uma análise séria do seu processo de precificação de produtos e serviços. Lembre-se que preço é o ponto onde vendedor e comprador se encontram, onde o valor percebido faz sentido para ambos.

Em tempos de economia bombando, as margens de lucro costumam ser mais generosas, mas quando a maré vira, o jeito é se adaptar e buscar a retenção de clientes através de preços mais competitivos. Se você no passado vendia por um preço melhor, parabéns, mas isso é passado.

Busque novos canais de vendas e distribuição

Momentos de crise são também momentos de oportunidades, por isso, se você quer saber como sobreviver à crise econômica, tenha em mente que será necessário buscar novos caminhos, e isso passa também por novos canais de vendas e distribuição, que talvez estivessem fora dos seus planos nos tempos de vacas gordas.

No caso do comércio, por exemplo, uma boa alternativa é a criação de uma loja virtual para romper as barreiras geográficas do seu negócio e passar a conquistar novos mercados. Se você planejar direito, essa opção não sai tão cara assim e pode ajudar em muito no faturamento do seu negócio.

Desligue-se do passado

Resultados passados não necessariamente refletem o desempenho futuro de uma empresa. Essa é uma máxima dos negócios e análise de investimentos. Em tempos de crise, ficar se referindo toda hora a situações passadas também não irá garantir seus resultados futuros e muito menos mudar a situação atual.

Portanto, se você quer saber como sobreviver à crise econômica, uma boa dica é deixar histórias do passado em seu devido lugar, no passado. Encare o momento de dificuldade como um novo desafio e vença! Quem vive de passado é museu!


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!