5 Dicas para melhorar sua Concentração

5 Dicas para melhorar sua Concentração



5 Dicas para melhorar sua Concentração

A concentração é fundamental para o desenvolvimento profissional ou para a melhoria na qualidade dos seus estudos. Além disso, seja realizando qualquer tipo de tarefa, ter foco é importante para realizá-las da maneira mais satisfatória e competente.

5 Dicas para melhorar sua Concentração

Mas muitos se perguntam como é possível adquirir ou melhorar a concentração e muitas respostas baseiam-se sempre nos mesmos conceitos de disciplina e organização. Essas dicas podem sim funcionar e são recomendadas para todos os tipos de pessoas. No entanto, elas não funcionam para todos, visto que alguns tem maior dificuldade para se concentrarem.

Para ajudar você nessa tarefa, nós separamos 5 coisas que você jamais sabia sobre melhorar a sua concentração.

1. Faça uma lista de distrações
Sim, isso mesmo. Faça uma lista de todas as suas distrações para você entender o que realmente prejudica a sua concentração. Tente eliminar todas essas distrações e caso você não consiga fazer isso com algumas, separe um tempo para que você possa executá-las. Por exemplo, se você trabalha em casa e sente-se tentado a assistir TV, tire um tempo para fazer isso e depois volte ao trabalho.

2. Ouça música
Ouça músicas relaxantes e que não tirem de você o foco que você precisa. Uma dica é não ouvir músicas que você ainda não tenha escutado, mas sim as músicas que você já conheça e que o seu cérebro já está acostumado.

3. Desenvolva interesse pelo seu trabalho
Uma forma de se concentrar com mais facilidade é por desenvolver interesse genuíno pelo seu trabalho. Trabalhar no que você gosta ajudará você a ficar mais concentrado e a potencializar a qualidade de execução de suas tarefas e compromissos.

4. Pare de trabalhar alguns minutos
Se você não está conseguindo se concentrar, deixe o trabalho de lado por alguns minutos. Tente meditar, observar detalhes em sua volta, ler alguma notícia na internet ou deixar fluir as suas ansiedades. Depois volte e tente retomar o seu trabalho.

5. Aprenda a ficar quieto
Se você é imperativo, talvez seja difícil ficar totalmente quieto por um longo prazo de tempo. Mas este exercício, ainda que você não consiga ficar quieto por completo, pode ajudar você a se concentrar com muito mais facilidade. Um dos grandes problemas que impedem a concentração das pessoas é o fato delas estarem sempre apressadas, cheias de assuntos em mente ou estressadas.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
12 Coisas que aprendi trabalhando em Home Office

12 Coisas que aprendi trabalhando em Home Office



12 Coisas que aprendi trabalhando em home office

12 coisas que aprendi trabalhando em home office


1. Sobra tempo
Com menos interrupções, reuniões e trânsito, o trabalho rende mais no home office. Muito mais. Consigo terminar em algumas horas o que levava um dia inteiro (e o início da noite) para fazer na agência onde eu trabalhava. Estas horas que sobram, uso para trabalhar mais (e ganhar mais dinheiro) ou para lazer. É tudo de bom.


2. Empreender é andar na montanha-russa. Então divirta-se!
As fases de trabalho intenso são estafantes. E quando a pauta de trabalhos está vazia é desesperador. Por mais que a gente se planeje, prospecte, feche contratos, estabeleça metas, um mês sempre vai ser diferente do outro. Alguns serão muito produtivos, outros nem tanto. Mas isso faz parte de empreender, seja em casa ou fora dela. A verdade é que a gente nunca se acostuma com os altos e baixos. Sempre vai ter um pouco de emoção, angústia, ansiedade, euforia, alegria, adrenalina. Relaxe e aproveite o passeio.


3. O home office é um paraíso. Mas saia dele de vez em quando
Acorda, toma café, trabalha, almoça, trabalha, janta, trabalha de novo e dorme. O dia todo sem sair de casa nem ver outra alma viva. Isso é um perigo. Isso enlouquece o cara. Isso faz muita gente desistir do home office. Por isso, é importante sair de casa pelo menos uma vez por dia. Tão importante que tem que colocar na agenda. Almoço com amigos, academia, passear com o cachorro, tomar um ar fresco. O home office é o paraíso. Mas mesmo o paraíso, sem ninguém para conversar, acaba virando um inferno.


4. Algumas “coisas” ajudam muito
A gente não precisa de muita coisa pra começar a trabalhar em casa. Um computador e um bom sinal de internet já resolvem o básico. Mas algumas coisas ajudam muito a aumentar a produtividade no home office. Na parte “home”, uma máquina lava e seca agiliza o trabalho doméstico. A lava-louças idem. E uma cafeteira com cápsulas é ótima para reuniões. No “office”, uma cadeira profissional salva a coluna. Um fone de ouvidos com anulador de ruídos ajuda a se concentrar. E uma internet ultra-rápida muda a vida.


5. Gastar menos é tão eficaz quanto ganhar mais. E dá bem menos trabalho
Controlar os gastos foi o que viabilizou o home office para mim. Subir a montanha é muito mais fácil quando a gente carrega uma mochila leve. Felizmente o home office já é econômico por natureza: não existe o gasto com aluguel de sala comercial e economiza-se com gasolina, energia elétrica, estacionamento e remédios para estresse. Mesmo assim, as contas vão chegar. Todos os meses. Por isso, é preciso estar sempre pensando em como cortar custos fixos e eliminar supérfluos. Só para dar um exemplo, uma das primeiras coisas que eu fiz no começo do home office foi vender o nosso segundo carro. E quer saber? Até hoje não fez falta.


6. Uma boa equipe de apoio faz a diferença
Demorou uns anos, mas consegui reunir uma equipe de apoio ágil, motivada e competente. Quando aparece um trabalho mais complexo, aciono minha rede de home officers e dividimos as tarefas. Outras atividades como contabilidade, faxina, registro de marcas e patentes, jardinagem, secretariado, eu terceirizo com fornecedores confiáveis. Assim, consigo focar no que sei fazer e deixo o resto para os especialistas. Outra coisa que aprendi é que fornecedores falham. Por isso é sempre bom ter na manga uma lista Plano B.


7. Home office não é uma unanimidade
Muita gente sempre apoiou o fato de eu trabalhar home office. Mas não é todo mundo que curte a ideia. Para alguns clientes, amigos e familiares, home office é sinônimo de assistir TV o dia todo de pijamas. Para me manter firme no propósito de trabalhar em casa, tive que me afastar de algumas pessoas e perder alguns clientes. E isso foi ótimo. Hoje em dia tenho certeza que todas as pessoas próximas torcem por mim e pelo sucesso da minha empresa home-based. Essa energia positiva é fundamental.


8. É fácil se perder na curva
No home office é assim: vacilou, trabalhou demais. Ou perdeu o prazo. Ou ficou fazendo três coisas ao mesmo tempo (mas nenhuma delas direito). É difícil manter uma rotina de trabalho em casa. Só para exemplificar, são 22h00 e eu ainda estou no escritório escrevendo este texto. Isso vindo de quem tem 12 anos de praia e quatro livros escritos sobre isso! Para resolver esse tipo de deslize disciplinar, adotei o sistema de blocos de trabalho super-focado (1 ou 2 horas trabalhando sem distrações ou interrupções), espalhados no decorrer do dia. A técnica dos blocos é bem produtiva, garante flexibilidade de horários e reduz o remorso de ter trabalhado demais ou a culpa de ter trabalhado de menos.


9. Pra não comer besteira, não tenha besteira em casa
Se tem salgadinho, chocolate e suco de caixa em casa, é isso o que a gente acaba comendo o dia todo. No meu caso, 9 kg mais tarde, resolvi mudar os petiscos para frutas cortadas, barrinhas de cereal e água do filtro. Não é a mesma coisa, eu sei. Mas funciona. No final de semana, o cardápio é liberado, porque ninguém é de ferro.


10. O melhor horário para fazer compras é no meio da manhã
Por que passear no shopping no sábado se você pode ir na terça à tarde? Ou viajar para a praia em janeiro, se você pode curtí-la em março? Por que sair de carro às 18h30 na hora do rush? O home office me apresentou o privilégio do contra-fluxo. Faz muito tempo que não enfrento filas, engarrafamentos e lugares entulhados de gente. E isso é bom. Isso é muito bom!


11. Sucesso = dinheiro + tempo livre.
Ter um monte de dinheiro é ótimo. Mas se você só trabalha e não tem tempo – nem serenidade – para curtir os benefícios do capital, não faz sentido. Por outro lado, não adianta ter tempo de sobra e ficar olhando para as paredes, sem um trocado para fazer uma viagem com os filhos, curtir um jantar romântico, assistir um pacote decente de TV a cabo, que seja. Tem que saber equilibrar: trabalhar o suficiente para ter uma vida confortável, sem precisar sacrificar as horas de lazer.


12. Dominguite tem cura
Sabe aquela sensação de aperto no coração e melancolia que dá no domingo à noite? Faz anos que eu não tenho.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Dicas para Home Office Pequeno

Dicas para Home Office Pequeno



Dicas para Home Office pequeno

Tirando alguns casos raros, dificilmente você vai começar um home office com uma cadeira Herman Miller e uma mesa maravilhosa de design. Vamos ser honestos, a maioria dos home offices começa na sala de jantar, na sala de estar, com o notebook no colo ou deitado na cama. Quanto de espaço você tem disponível para montar um escritório em casa? No começo é assim mesmo, mais um cantinho de trabalho do que propriamente um escritório com todas as letras e aqueles móveis espaçosos. E quer saber? Também funciona super bem. Aliás, não deixe isso virar uma desculpa para você não trabalhar direito (eu sei como funciona hehe).

4 Dicas para transformar um quarto em um escritório

A primeira coisa que você tem que fazer antes de montar o seu home office é se perguntar o seguinte:

– quantas horas por dia eu vou trabalhar?
– quanto eu posso gastar?
– só eu vou usar este espaço?

A partir dessas respostas você vai fazer escolhas mais inteligentes para a sua área de trabalho. Se o home office for compartilhado, por exemplo, é melhor você comprar uma cadeira com revestimento lavável e ter um pequeno arquivo ou gaveta com cadeado, para não correr o risco de ter danoninho pingado em um contrato. Sabe como é?

Agora mais dicas de aproveitamento:

Home office pequeno – Como aproveitar o espaço

– apostar em cores claras é a melhor forma de ampliar o ambiente pequeno. A regra básica é: o claro amplia, o escuro diminui. Se você curtir um contraste, tipo black and white, escolha acessórios ou detalhes escuros

vidro e acrílico são ótimas escolhas para o mobiliário. Já existem no mercado várias opções de móveis assim. A mesa pode ser um tampo sobre dois cavaletes e a cadeira pode ser alguma na linha Louis Ghost ou uma DKR transparente

não entulhe o seu home office. Segure a mão nos apetrechos de escritório, por mais fofos, geeks ou originais que eles sejam, pense antes se ele vai ter uma função e onde vai ser colocado. Se não passar nesse filtro, nem compre

– observe as paredes ao redor do seu espaço de trabalho. Como podem ser melhor aproveitadas? Com prateleiras, nichos, um painel de cortiça? Analise qual dessas peças é mais importante para o seu trabalho

– agora olhe para baixo. Você teria algum espaço embaixo da mesa para um arquivo, uma lixeiraou algumas caixas empilhadas (bonitas, claro)? Lembre que você vai precisar de espaço para armazenamento (papéis, carregadores, etc.)

luz natural é ótima e você deve considerá-la no seu home office (só cuide pra não fazer reflexo no monitor). Você também vai precisar de uma luminária para ter luz direcional na sua bancada. Procure por modelos mais fininhos ou aquelas de prender no laptop

– cole na lateral da sua mesa, da prateleira ou até na parede pequenos ganchos para guardar a bolsa, os fones de ouvido e outros itens que use com frequência

Móveis home office pequeno

– o melhor aproveitamento de espaço no home office pequeno é com móveis sob medida. Assim você consegue usar cada cantinho, especialmente com as soluções de bancada em L ou em T

– se fizer um móvel planejado no seu home office, já pense em soluções como: espaço para esconder um multifuncional em um gavetão, trilhos para pastas de arquivo, canaleta para esconder tomadas e cabos, etc.

– um tampo retrátil é uma solução inteligente para aproveitar o espaço de bancada que você já tem. Quando for trabalhar, puxe o tampo para fora. Quando encerrar o trabalho, recolha-o

– ao pesquisar os móveis, tenha sempre contigo as medidas do espaço que tem disponível. Saiba quanto a mesa e a cadeira devem medir para não atravancar a casa

– meça também a altura e a largura da mesa para receber a cadeira. É bem fácil a gente se empolgar com uma cadeira maravilhosa e depois perceber que ela não encaixa na mesa… Ah, ao comprar a cadeira veja se ela tem regulagem de altura

básico da ergonomia: a bancada/mesa tem que ter no mínimo 50 cm de profundidade, 75 cm de altura e você deve ficar com os pés inteiros no chão (ou em um apoio) e os joelhos em ângulo de 90 graus

– veja se o seu home office não se encaixa em um armário, no closet ou embaixo da escada. Use a criatividade para encontrar espaços inusitados para o seu cantinho de trabalho

– quando o home office compartilha espaço com outro ambiente, usar uma pequena divisória como um biombo ou uma estante dupla face ajuda a diferenciar o espaço. Já aproveite este espaço para fazer um painel de recados e tarefas do seu escritório em casa

– uma bancada fixa na parede, sem pés, poupa muito espaço

– se tiver um pouco mais de espaço, coloque um arquivo ou estante no seu home office para guardar os materiais e papelada do escritório

– móveis com mais de uma função são peças coringa do home office compacto

– uma mesa com gavetas é sempre melhor para esconder as miudezas e ao mesmo tempo tê-las ao alcance

móveis com rodízio são uma boa opção caso você queira “sumir” com o seu home office. Por exemplo: se ele fica na sala e você vai fazer uma festa no final de semana, é só empurrar a mesa e a cadeira pro quarto

– falando nisso, notebook é sempre melhor que um desktop no escritório pequeno. Ocupa bem menos espaço e é mais fácil de levar de um lado para o outro. Outra saída, se tiver monitor, é fixá-lo na parede ou em um braço articulado. Assim, você libera um espaço precioso na bancada


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Trabalho em equipe é o diferencial para o Sucesso

Trabalho em equipe é o diferencial para o Sucesso



Trabalho em equipe é o diferencial de uma empresa de Sucesso

No início, o homem trabalhava para produzir aquilo que consumia. Muitos se empenhavam em plantações, costurar suas vestimentas e construir moradias. Foi aí, neste período, que o ser humano começou a se organizar em sociedades e iniciaram os primeiros escambos, ou seja, a troca de mercadorias. Por exemplo, se eu tivesse uma carroça sem uso e precisasse de alimentos para a minha família, poderia fazer uma negociação com um agricultor e trocar a casa por legumes, verduras e frutas. Tudo através de um bom diálogo. E disso surgiu o comércio.

Trabalho em equipe é o diferencial para o sucesso

Mais tarde começaram a aparecer as primeiras fábricas e já em meados do século XXI, a forma de obter recursos mudou um pouco. Foram chegando o trabalho formal, no século XVIII e XIX, em que já eram impostas funções e remunerações aos trabalhadores e, depois, por volta de 1932, os brasileiros tiveram acesso a Carteira de Trabalho (CLT), que lhes oferecia outros benefícios como, o 13º salário.

Hoje quando se pensa em trabalho a principal preocupação para o ser humano é a realização profissional. Tanto que Confúcio já afirmou: “Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na sua vida”. E essa tem sido a meta de muitos brasileiros. Atuar em um ambiente de trabalho o qual desperte a vontade de acordar todos os dias e ir para o trabalho, onde passamos a maior parte do nosso dia.

Atualmente, o profissional pensa em se especializar, fazer cursos técnicos, faculdades, tudo com o intuito de se realizar profissionalmente. Mas, para disputar a concorrência hoje em dia, não basta apenas ter experiência e boa instrução escolar. Com o passar dos anos, o mercado foi ficando mais exigente e os empresários estão à procura de profissionais que saibam trabalhar em equipe. Esse tem sido o principal requisito das empresas, pois sabem que disso depende o sucesso do seu negócio.

O maior astro do basquete, Michael Jordan, já reconheceu que “o talento vence jogos, mas só o trabalho em equipe ganha campeonatos”. E essa tem sido a visão dos empresários, por isso, o desempenho em grupo tem sido a maior exigência para as contratações.  A seleção dos candidatos é a etapa primordial para que o negócio tenha sucesso. A empresa precisa avaliar bem os candidatos os quais entrevista, identificar qualidades e os defeitos também. Afinal, ninguém é perfeito, não é mesmo?

Neste quesito (trabalho em equipe) o gestor é o maior responsável, por ter a função de “cabeça”. Fazendo uma analogia com o corpo humano, o cérebro gera os comandos e os membros respondem, trabalham juntos e um precisa do outro para se movimentar e alcançar o estímulo indicado. E é desta mesma maneira que um quadro de funcionários precisa funcionar: unido em prol do melhor resultado.

Você já deve ter ouvido aquele ditado que diz que “uma andorinha sozinha não faz verão”. Pois é, um funcionário sozinho não pode ser responsável pelo sucesso e desempenho de uma empresa. Neste cenário, entra também o papel do líder, que é fundamental para a empresa, pois ele precisa comandar o grupo para alcançar os resultados desejados e motiva-los sempre.

Sinto-me lisonjeado quando converso com o dono de uma empresa a qual dou coaching e ele afirma: minha equipe alcançou as metas este mês. Não pelo fato da conquista, mas por mostrar a união com seus parceiros de trabalho e não focar a aquisição apenas em si. Com isso, já sei que aquele negócio está indo pelo caminho certo e o meu trabalho está valendo a pena. Sem dúvida, isso é uma grande satisfação.

Aos líderes afirmo que é importante fazer com que os seus colaboradores confiem em você e se sintam bem no local de trabalho. Eles precisam te enxergar como alguém que quer ajudar. Afinal, este é o teu trabalho como líder. Não pense que é apenas mandar. E já dizia Albert Einstein: “O único lugar aonde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário”. Pense nisso!


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Características de quem tem Espírito de Equipe

Características de quem tem Espírito de Equipe



Cinco características de quem tem espírito de equipe

Hoje em dia, todo mundo menciona no currículo que tem “espírito de equipe”, mas atos falam mais alto que palavras, assim fique sabendo de algumas características de quem demonstra esta virtude em vez de apenas falar sobre ela.

Características de quem tem Espírito de Equipe

Assume responsabilidade

Um verdadeiro “team player” assume a responsabilidade pelos seus atos. Muitos dos trabalhadores hoje em dia tentam culpar seus colegas à primeira oportunidade que encontram, o que é natural devido à competitividade do mercado de trabalho hoje em dia.

Contudo, é preciso ser um bom profissional para se assumir os erros, e se você está na posição de empregador valorize isso nos seus empregados.

Preocupa-se com os colegas

O mundo hoje em dia premeia o individualismo, e muitas vezes aqueles que se dizem “team players” são os primeiros a tentar capitalizar com as falhas dos outros.

O verdadeiro colega é aquele que cobre o seu colaborador para o empregador não descobrir que este falhou.

Embora este ato altruísta pareça ruim na altura, mudará de opinião quando precisar que alguém o cubra a si por qualquer razão.

Não se importa de fazer horas extra

Se existe um trabalho de grande importância para entregar breve, o verdadeiro colaborador de equipe saberá que um esforço extra vai compensar.

Este profissional trabalhará um extra pela equipe, para que tudo corra bem – se tem um empregado assim, por favor recompense-o após as horas de aperto!

É flexível em termos de substituições

Se algum dos seus empregados está doente, precisa de tirar uns dias, tem algum problema ou sofre de exaustão, então observe aquele que se voluntaria para o substituir ou que se dispõe a isso sem problemas – este é um jogador de equipe, e um bem raro em qualquer empresa.

Sabe que a empresa é a prioridade

Finalmente, o profissional com espírito de equipe trabalha com seus colegas para levantar a empresa do solo, e faz-lo sabendo que todo esse trabalho irá compensar – afinal, só com o crescimento da empresa é que seus colaboradores poderão crescer.

Tem algum “team player” nos quadros da sua empresa? Se sim, estime-o – são cada vez mais difíceis de encontrar.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Autossabotagem pode prejudicar os negócios

Autossabotagem pode prejudicar os negócios



Autossabotagem pode prejudicar os negócios

Jim Rohn, empresário norte-americano e escritor na área de desenvolvimento pessoal e motivação no mundo, fala que: “Se realmente você quer fazer algo, encontrará uma maneira. Se não, encontrará uma desculpa”.

Atitudes como inventar desculpas, procrastinar, assumir posturas defensivas, não ouvir, ter problemas em delegar tarefas ou medo de fazer e receber avaliações de desempenho são formas de autossabotagem.

Autossabotagem pode prejudicar os negócios

Quem se boicota não possui consciência do comportamento vicioso ou indesejado e, quando o tem, não consegue ver a situação por completo, apenas em partes. Algumas características são comuns aos sabotadores, como por exemplo, o frequentemente excesso de sono, estresse e procrastinação.

Distrações excessivas também fazem parte do cotidiano do gestor ou líder que se sabota, o que afeta muitas vezes tanto as relações com a equipe e outros colaboradores no ambiente da empresa, quanto os resultados finais do negócio.

Evitar essas repetições destrutivas é difícil, mas não impossível. Como elas estão consolidadas em nosso inconsciente desde muito cedo, geralmente são atitudes e ações que estiveram presentes durante a infância e que ficaram mal resolvidas.

Por questões neurológicas, que estão ligadas ao prazer e sensação se satisfação rápidas, protelamos algumas ações que requerem mais atenção e tempo para se dedicar ao que pode ser solucionado de maneira mais rápida. Acredito que alguns pontos necessitam de atenção para dar fim a autossabotagem na vida e no ambiente de trabalho.

Definir objetivos

É necessário ter um objetivo claro, por exemplo, bons resultados na empresa, crescimento dos lucros. Saber exatamente o que se quer é a melhor forma de alcançar o que se deseja e não se boicotar na conquista dessas metas.

Planejamento

Traçar um plano para alcançar os seus objetivos é fundamental. Saber o caminho para alcançar suas metas e organizá-lo de maneira estratégica é um ótimo método contra o autoboicote.

Sacrifício x Objetivo

Seu objetivo vale mesmo os sacrifícios que tem feito na sua empresa, equipe e carreira? Se sim, está no caminho certo, os resultados certamente chegarão. Porém, em caso negativo, há que se pensar nas estratégias que vêm adotando e como as coloca em prática.

Busca por certezas

Ao traçar um objetivo, realizar um ótimo planejamento e se esforçar para conseguir alcançá-lo, certamente você obterá sucesso, certo? Nem sempre. Todos nós sempre estamos em busca de certezas, mas não temos garantia que tudo acontecerá como planejamos.

É preciso fazer o que é necessário sempre em busca de bons resultados, mesmo que eles não cheguem como foi planejado, o importante é não desistir, abandonar os projetos pela metade, mudar completamente os planos e se autossabotar.

Você conhece um gestor que sempre encontra problemas em sua equipe? Ou que sempre encontra uma forma de transferir as responsabilidades sem assumir a liderança? A autossabotagem leva as pessoas a arriscarem o sucesso de seus negócios e empresas, a carreira, e por consequência a reputação pessoal e da companhia.

O medo de aprender coisas e se ajustar a novos cenários, fazem com que, por vezes, a responsabilidade sobre os problemas seja transferida para outras pessoas e situações, trazendo à tona sentimentos como frustração, culpa e dúvida, por mais qualificado e talentoso que o profissional possa ser. Mas, fique atento, transferir responsabilidades é diferente de delegar tarefas, o líder que está atento a sua equipe, não se boicota.

De acordo com o relatório divulgado pelo Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC – Boa Vista), os pedidos de falência, em razão da atual crise econômica, tiveram alta de 9,2% nos primeiros seis meses deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Neste mesmo período, o número de pedidos de recuperação judicial teve aumento de 17,2%.

As micro e pequenas empresas representam cerca de 85% dos pedidos de falência e 87% dos pedidos de recuperação judicial. Entre os setores, os que apresentaram mais casos de pedidos de falência, 40%, foi o de serviços, seguido pelo industrial 34%, e o de comércio 26%.

Não seja mais um nas estatísticas, repense suas atitudes, reveja e reavalie seus objetivos, se necessário, mude o planejamento e não se autossabote.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!