8 Filmes da NetFlix que são uma Verdadeira Lição de Carreira


AutoGarage Franquia de Classificados Automotivos
AutoGarage Franquia de Classificados Automotivos

8 Filmes da NetFlix que são uma Verdadeira Lição de Carreira
8 Filmes da NetFlix que são uma Verdadeira Lição de Carreira

(Pascal Le Segretain/Getty Images)

São Paulo – Cinema é muito mais do que entretenimento: um filme pode servir como alavanca para você questionar suas crenças, conhecer novos pontos de vista e ganhar clareza sobre diversos temas da vida. Lições sobre carreira podem estar escondidas nos títulos mais inusitados – até naqueles que aparentemente parecem não ter nada a ver com o mundo do trabalho. Nesta galeria, você verá uma seleção de 8 filmes que trazem valiosos ensinamentos sobre carreira, do clássico drama “Forrest Gump” ao surpreendente documentário “O sushi dos sonhos de Jiro”. Todos estão disponíveis na Netflix. Navegue pelas imagens a seguir e confira a lista. As obras são comentadas pelo antropólogo empresarial Marco Oliveira, pelo consultor Pedro Grawunder, pela professora Ana Cristina Limongi-França, da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo) e pela pesquisadora Fernanda Lemos, da mesma instituição.

VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Como Registrar uma Marca no Brasil

Como Registrar uma Marca no Brasil


Trabalhe com Vendas de Veículos Seminovos e 0KM
Trabalhe com Vendas de Veículos Seminovos e 0KM

Como registrar uma marca no Brasil

Proteger a marca do seu negócio é importante, mas como registrar uma marca no Brasil? Essa é uma dúvida que muitos empresários têm e por vezes acabam se dando mal por não saber a resposta.

marca da sua empresa é um dos seus maiores patrimônios, já que ela é a identidade do seu negócio, o que a distingue como entidade, produto e serviço único em seu segmento.

INPI

Saber como registrar uma marca no Brasil é uma parte importante para garantir a propriedade dessa marca, e com isso protege-la de ações de cópia e até mesmo falsificação dos seus produtos, para dar apenas um exemplo.

Muita gente acaba deixando o registro de marca para uma etapa posterior do negócio, mas como nós bem sabemos, essa procrastinação acaba se eternizando e não raramente, os problemas acabam surgindo antes que alguma coisa seja feita.

Porque registrar a marca da sua empresa

Os motivos para fazer o registro de uma marca no Brasil não é o que se pode chamar de um processo fácil e muito menos rápido. A “burrocracia” que reina no Brasil torna esse processo bastante tortuoso, mas mesmo assim, não é recomendado deixar essa etapa do negócios de lado.

Imagine se você cria o seu negócio e ele simplesmente explode em termos de sucesso de público e vendas. Obviamente isso irá chamar atenção de outros empresários do setor e até mesmo de gente que nada tem a ver com o segmento, mas que sabe o real valor de uma marca registrada.

Pode acontecer de com o objetivo de barrar o seu crescimento, um dos seus competidores resolva se apossar da sua marca, seja de forma legal ou até mesmo ilegal. Se você não possui o registro da marca, não haverá muito que possa ser feito, concorda?

Isso, sem falar nos oportunistas que, conhecendo como funciona a legislação sobre o registro de marcas e patentes no Brasil, podem requerer o registro da marca para depois vende-la de volta para você por um preço muito maior do que lhe custaria.

Roteiro de como registrar uma marca no INPI

Para acabar de vez com a dúvida sobre como registrar uma marca no Brasil, criamos um passo a passo do que você precisa fazer para garantir os direitos sobre a sua marca.

O primeiro passo é verificar se a marca que você deseja registrar já não foi registrada anteriormente por alguém e se possível registrá-la. Isso pode ser feita diretamente no site do Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI ou então, no caso de você contratar um escritório de marcas e patentes, ele mesmo poderá fazer essa busca para você gratuitamente.

Feito isso, você precisará determinar em que classe de atividade econômica será feito o seu registro. Pela legislação brasileira, no Classificador NICE, existem 45 classes para registro de marcas, sendo 34 delas específicas para produtos e 11 outras para serviços.

Nessa etapa você deverá prestar uma atenção especial, pois dependendo do caso, talvez seja necessário fazer o registro em mais de uma categoria. Foque no que a sua empresa realmente faz ou pretende fazer no futuro, pois se fizer registros em muitas categorias, os seus custos acabam subindo sensivelmente.

O terceiro passo é o registro da marca em si, que pode ser feito de três formas diferentes:

  • Marca Nominativa – Quando a marca é composta exclusivamente por palavras;
  • Marca Mista – Quando a marca é composta por palavras, tipo de letras, cores e símbolos;
  • Marca Figurativa – Quando a marca é composta exclusivamente por um ou mais símbolos.

Cumpridos todos os procedimentos legais e de posse do número do processo, você deverá acompanhar a Revista Eletrônica da Propriedade Industrial – RPI, onde você poderá saber se o processo cairá em exigências em função de erros nos formulários ou outras questões, como oposições ao registro e outras. Correndo tudo bem, o registro final da marca será publicado na RPI e deverá ser atualizado a cada 10 anos.

Como registrar a marca da sua empresa

Todo o processo de registro de marcas pode ser feito online através do e-Marcas, seção do site do INPI dedicada à prestação desse tipo de serviço. Lá você encontrará um roteiro completo sobre os procedimentos necessário para fazer o registro da sua marca.

Outra opção é a de contratar um escritório especializado nesse tipo de serviço. O importante neste caso é verificar as credenciais desse dessa empresa para não ter problemas.

Quanto custa para fazer o registro de uma marca no Brasil

Todo processo de registro tem um custo, que envolve o pagamento de taxas de registro e no caso da contratação de um escritório para executar esse serviço, você terá também os custos de honorários.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
4 Dicas para Transformar um Quarto em um Escritório

4 Dicas para Transformar um Quarto em um Escritório


Spice Sex Shop - Franquia de Sex Shop
Spice Sex Shop - Franquia de Sex Shop

4 Dicas para Transformar um Quarto em um Escritório

O home office é um estilo de trabalho cada vez mais considerado e utilizado por empresas e profissionais. A redução de gastos e tempo, aliado às novas ferramentas tecnológicas que permitem o trabalho mobile, fazem do home office uma maneira interessante de trabalhar. No entanto, para que o trabalho possa ser tão produtivo (ou mais) do que no escritório, em muitos casos é necessário ter um lugar para que você possa trabalhar.

4 Dicas para transformar um quarto em um escritório

O quarto é um ótimo lugar para abrigar seu pequeno escritório, visto que em muitas casas ele já possui uma mesa e alguns elementos que contribuem para a formação de um espaço de trabalho. Claro que você pode fazer o seu escritório em outros lugares da casa, mas a ideia de fazê-lo no quarto é interessante.

Para ajudar você a montar o seu escritório no seu quarto, nós separamos 4 dicas bastante úteis. Acompanhe abaixo.

1. Veja o que você realmente necessita
Para montar o seu escritório, analise primeiro o que você realmente necessita. Isso irá facilitar o seu trabalho e a compra de materiais para que você possa elaborar o seu espaço de trabalho. Do contrário, você pode acabar ocupando espaço demais com objetos e móveis desnecessários, que atrapalharão o conforto e a mobilidade em seu quarto. Sem falar que a aparência pode ficar bastante comprometida.

2. Coloque um tampo de vidro na mesa
Por se trabalhar em casa, muitas vezes você pode acabar comendo algo em cima de sua mesa ou usá-la para outras coisas além do trabalho. Para que o dano sobre sua mesa seja reduzido,opte por colocar um tempo de vidro sobre ela.

3. Separe os espaços
Não deixe tudo muito amontoado e deixe um espaço claro para saber onde você trabalha e onde você dorme. Evite com veemência trabalhar em cima da sua cama, pois isso pode atrapalhar até mesmo o seu sono.

4. Escolha cores neutras e leves
Não escolha cores vibrantes demais e em exagero, visto que elas podem ser cansativas ao seus olhos com o passar do tempo e influenciar na sua produtividade. Opte por um visual mais sóbrio, com cores mais neutras e leves.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
5 Estratégias para a sua Empresa continuar crescendo apesar da Crise

5 Estratégias para a sua Empresa continuar crescendo apesar da Crise


AutoGarage Franquia de Classificados Automotivos
AutoGarage Franquia de Classificados Automotivos

5 Estratégias para a sua Empresa continuar crescendo apesar da Crise

Algumas empresas conseguem crescer mesmo diante de uma crise financeira. Isso acontece porque elas sabem se planejar e traçar metas estratégicas para driblar as dificuldades e explorar nichos e públicos que continuam sendo receptivos aos seus produtos e serviços apesar de problemas econômicos.

5 estratégias para a sua empresa continuar crescendo apesar da crise

Mesmo que a sua empresa não seja afetada por qualquer tipo de crise financeira, ela pode ter que lidar com os desafios de uma maior concorrência, variação cambial ou algum revés causada por um erro vindo de dentro de sua companhia. Seja qual for o problema, sua empresa pode continuar crescendo se houver planejamento e estratégia.

Acompanhe abaixo 5 estratégias para ajudar a sua empresa a crescer apesar da crise.

1. Investimento em marketing
Muitos empreendedores deixam de investir em marketing e em publicidade quando se deparam com uma crise. Isso é um grande erro, visto que isso desacelerará ainda mais as vendas de um negócio. O ideal é otimizar os gastos, injetando dinheiro em canais de marketing que realmente funcionam. Ou seja, não é um momento para testar novas formas de marketing ou propaganda, mas sim de destinar todo o seu orçamento nos modelos que dão certo.

2. Lance novos produtos/serviços
Se o seu produto/serviço está sendo dispensado pelos consumidores que estão com menos dinheiro no bolso, você pode optar por lançar um novo produto para eles, que seja mais barato e que mantenha certas propriedades que mantinham eles interessados. Ou você pode optar por uma outra estratégia e lançar um produto ou serviço premium, destinado aqueles que não estão sendo afetados pela crise.

3. Apostar no segmento que proporciona maior lucro
O momento de crise é hora de concentrar suas forças no que realmente traz dinheiro para a sua empresa. Concentre-se nas vendas que proporcionam maior lucro. Em muitos casos, os produtos que trazem mais lucros podem diminuir todo o esforço de vendas de sua equipe, visto que eles precisarão vender menos e ainda assim continuarão a trazer um bom dinheiro para o seu negócio.

4. Ofereça novas formas de pagamento
Talvez você não precise conquistar o seu cliente novamente em meio a crise. Tudo o que ele precisa é de um novo método de pagamento ou de maiores parcelas, que possam caber em seu bolso. Ofereça maiores prazos ou estenda o número de parcelas das compras.

5. Reduza a sua empresa
O momento de crise é hora de pensar no que não está funcionando no seu negócio. Talvez seja necessário cortar gastos, reduzir departamentos e fazer dispensas. No entanto, tome muito cuidado para não dispensar funcionários que estão envolvidos com os projetos da empresa e que realmente desejam fazer a diferença. As soluções podem sair destes funcionários. A ideia de diminuir a atuação de sua empresa é reduzir os gastos para que os lucros possam aumentar.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
12 Coisas que aprendi trabalhando em Home Office

12 Coisas que aprendi trabalhando em Home Office


AutoGarage Franquia de Classificados Automotivos
AutoGarage Franquia de Classificados Automotivos

12 Coisas que aprendi trabalhando em home office

12 coisas que aprendi trabalhando em home office


1. Sobra tempo
Com menos interrupções, reuniões e trânsito, o trabalho rende mais no home office. Muito mais. Consigo terminar em algumas horas o que levava um dia inteiro (e o início da noite) para fazer na agência onde eu trabalhava. Estas horas que sobram, uso para trabalhar mais (e ganhar mais dinheiro) ou para lazer. É tudo de bom.


2. Empreender é andar na montanha-russa. Então divirta-se!
As fases de trabalho intenso são estafantes. E quando a pauta de trabalhos está vazia é desesperador. Por mais que a gente se planeje, prospecte, feche contratos, estabeleça metas, um mês sempre vai ser diferente do outro. Alguns serão muito produtivos, outros nem tanto. Mas isso faz parte de empreender, seja em casa ou fora dela. A verdade é que a gente nunca se acostuma com os altos e baixos. Sempre vai ter um pouco de emoção, angústia, ansiedade, euforia, alegria, adrenalina. Relaxe e aproveite o passeio.


3. O home office é um paraíso. Mas saia dele de vez em quando
Acorda, toma café, trabalha, almoça, trabalha, janta, trabalha de novo e dorme. O dia todo sem sair de casa nem ver outra alma viva. Isso é um perigo. Isso enlouquece o cara. Isso faz muita gente desistir do home office. Por isso, é importante sair de casa pelo menos uma vez por dia. Tão importante que tem que colocar na agenda. Almoço com amigos, academia, passear com o cachorro, tomar um ar fresco. O home office é o paraíso. Mas mesmo o paraíso, sem ninguém para conversar, acaba virando um inferno.


4. Algumas “coisas” ajudam muito
A gente não precisa de muita coisa pra começar a trabalhar em casa. Um computador e um bom sinal de internet já resolvem o básico. Mas algumas coisas ajudam muito a aumentar a produtividade no home office. Na parte “home”, uma máquina lava e seca agiliza o trabalho doméstico. A lava-louças idem. E uma cafeteira com cápsulas é ótima para reuniões. No “office”, uma cadeira profissional salva a coluna. Um fone de ouvidos com anulador de ruídos ajuda a se concentrar. E uma internet ultra-rápida muda a vida.


5. Gastar menos é tão eficaz quanto ganhar mais. E dá bem menos trabalho
Controlar os gastos foi o que viabilizou o home office para mim. Subir a montanha é muito mais fácil quando a gente carrega uma mochila leve. Felizmente o home office já é econômico por natureza: não existe o gasto com aluguel de sala comercial e economiza-se com gasolina, energia elétrica, estacionamento e remédios para estresse. Mesmo assim, as contas vão chegar. Todos os meses. Por isso, é preciso estar sempre pensando em como cortar custos fixos e eliminar supérfluos. Só para dar um exemplo, uma das primeiras coisas que eu fiz no começo do home office foi vender o nosso segundo carro. E quer saber? Até hoje não fez falta.


6. Uma boa equipe de apoio faz a diferença
Demorou uns anos, mas consegui reunir uma equipe de apoio ágil, motivada e competente. Quando aparece um trabalho mais complexo, aciono minha rede de home officers e dividimos as tarefas. Outras atividades como contabilidade, faxina, registro de marcas e patentes, jardinagem, secretariado, eu terceirizo com fornecedores confiáveis. Assim, consigo focar no que sei fazer e deixo o resto para os especialistas. Outra coisa que aprendi é que fornecedores falham. Por isso é sempre bom ter na manga uma lista Plano B.


7. Home office não é uma unanimidade
Muita gente sempre apoiou o fato de eu trabalhar home office. Mas não é todo mundo que curte a ideia. Para alguns clientes, amigos e familiares, home office é sinônimo de assistir TV o dia todo de pijamas. Para me manter firme no propósito de trabalhar em casa, tive que me afastar de algumas pessoas e perder alguns clientes. E isso foi ótimo. Hoje em dia tenho certeza que todas as pessoas próximas torcem por mim e pelo sucesso da minha empresa home-based. Essa energia positiva é fundamental.


8. É fácil se perder na curva
No home office é assim: vacilou, trabalhou demais. Ou perdeu o prazo. Ou ficou fazendo três coisas ao mesmo tempo (mas nenhuma delas direito). É difícil manter uma rotina de trabalho em casa. Só para exemplificar, são 22h00 e eu ainda estou no escritório escrevendo este texto. Isso vindo de quem tem 12 anos de praia e quatro livros escritos sobre isso! Para resolver esse tipo de deslize disciplinar, adotei o sistema de blocos de trabalho super-focado (1 ou 2 horas trabalhando sem distrações ou interrupções), espalhados no decorrer do dia. A técnica dos blocos é bem produtiva, garante flexibilidade de horários e reduz o remorso de ter trabalhado demais ou a culpa de ter trabalhado de menos.


9. Pra não comer besteira, não tenha besteira em casa
Se tem salgadinho, chocolate e suco de caixa em casa, é isso o que a gente acaba comendo o dia todo. No meu caso, 9 kg mais tarde, resolvi mudar os petiscos para frutas cortadas, barrinhas de cereal e água do filtro. Não é a mesma coisa, eu sei. Mas funciona. No final de semana, o cardápio é liberado, porque ninguém é de ferro.


10. O melhor horário para fazer compras é no meio da manhã
Por que passear no shopping no sábado se você pode ir na terça à tarde? Ou viajar para a praia em janeiro, se você pode curtí-la em março? Por que sair de carro às 18h30 na hora do rush? O home office me apresentou o privilégio do contra-fluxo. Faz muito tempo que não enfrento filas, engarrafamentos e lugares entulhados de gente. E isso é bom. Isso é muito bom!


11. Sucesso = dinheiro + tempo livre.
Ter um monte de dinheiro é ótimo. Mas se você só trabalha e não tem tempo – nem serenidade – para curtir os benefícios do capital, não faz sentido. Por outro lado, não adianta ter tempo de sobra e ficar olhando para as paredes, sem um trocado para fazer uma viagem com os filhos, curtir um jantar romântico, assistir um pacote decente de TV a cabo, que seja. Tem que saber equilibrar: trabalhar o suficiente para ter uma vida confortável, sem precisar sacrificar as horas de lazer.


12. Dominguite tem cura
Sabe aquela sensação de aperto no coração e melancolia que dá no domingo à noite? Faz anos que eu não tenho.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
12 Idéias para aumentar as chances de seu Filho ter um futuro Acima da Média

12 Idéias para aumentar as chances de seu Filho ter um futuro Acima da Média


Spice Sex Shop - Franquia de Sex Shop
Spice Sex Shop - Franquia de Sex Shop

12 Idéias para aumentar as chances de seu Filho ter um futuro Acima da Média

criancas_futuro

criancas_futuro

1. Crie um hábito de questionar as convicções dele. Pergunte o porquê das coisas e o estimule a questionar da mesma forma.

2. Evite super-valorizar os erros. Caiu? Não faça estardalhaço. Encoraje-o a se levantar sozinho e continuar adiante. Não alimente o medo. Encoraje mais.

3. Falar inglês é fundamental. Eles aprendem bem rápido e não sofrerão no futuro. Quem fala inglês tem acesso a MAIORES e MELHORES oportunidades.

4. Pratique falar em público dentro de casa. Crie situações onde ele tenha que fazer alguma apresentação na presença de toda família para conquistar o que deseja. Quer um vídeo game? Marque um dia para ele fazer uma apresentação dando os argumentos, mostrando porque ele merece este presente. Se não for convincente, dê mais uma chance até conseguir.

5. Compaixão e empatia. Ter contato com a pobreza e criar o desejo de ajudar ao próximo. Ensinar o prazer de doar e dividir, além de evitar o consumismo. Ensine a simplicidade a começar pelo seu exemplo.

6. Ensine o valor do dinheiro. Prêmios e multas podem ajudar no reconhecimento da gestão que ele faz de sua mesada.

7. Esporte ajuda a desenvolver o trabalho em equipe, disciplina, além de ser saudável.

8. Converse sobre o mercado, sobre as empresas, sobre bolsa de valores, sucesso, fracasso e crie referenciais a serem seguidos. Fale sobre biografias de pessoas de sucesso desde cedo.

9. Trabalhe por merecimento. Ensine desde pequeno que nada se ganha. Tudo se conquista.

10. Fique de olho nas besteiras que são faladas na escola. Infelizmente, a cada dia, a escola tem se tornado um lugar menos confiável.

11. Falando em escola, se tentarem te convencer que o seu filho é doente e que ele precisa viver a base de Ritalina, porque ele é hiperativo, duvide. 90% dos casos é por pura incompetência ou preguiça da escola por querer padronizar a todos no mesmo formato. Não mate a iniciativa e os questionamentos de seu filho por causa da mediocridade da escola. Ensine-o como lidar com este modelo convencional sem tirar dele o seu lado questionador. É só aprender a jogar o jogo da Matrix.

12. Ensine desde cedo o seu filho ter a dignidade de assumir os seus erros e debilidades. Assim, a chance dele crescer e se tornar alguém que criou o hábito de sempre tentar colocar a culpa de seus fracassos no sistema, no governo, em sua classe social, na cor de sua pele ou na sua orientação sexual, será muito menor. Ensine-o desde cedo a ser protagonista e não uma vítima.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!