Trabalhar em casa é uma boa ideia? Veja os Prós e Contras

Trabalhar em casa é uma boa ideia? Veja os Prós e Contras



Trabalhar em casa é uma boa ideia? Veja os Prós e Contras

Para o consultor organizacional e coach de consultores há 40 anos, Luiz Affonso Romano, um dos principais benefícios do Home Office é a questão tempo. “A vantagem é não perder tempo com o deslocamento e o trânsito caótico. Em algumas capitais, ir e vir consome cerca de quatro horas diárias e se colocarmos isso ao ano, seriam cerca de 960 horas/ano de desperdício e estresse em deslocamento. É uma insanidade”.Será que trabalhar em casa é uma boa ideia para você?  Levar o escritório para dentro de seu domicílio é uma boa estratégia? Para alguns pode dar certo, mas para outros essa fórmula pode não trazer os resultados esperados. O chamado Home Office, nada mais é do que a prática de trabalhar em casa, ou seja, montar um escritório em casa equipado a fim de efetuar parcial ou totalmente as tarefas de trabalho, sem a necessidade de se deslocar até uma empresa.

Trabalhar em casa é uma boa ideia? Veja os Prós e Contras

Para Affonso Romano, o profissional pode executar outras atividades devido ao Home Office. “É possível aproveitar o tempo que ganhou para aplicar na leitura, voltar aos exercícios físicos, escrever sobre um tema tantas vezes adiado, e distribuir melhor as tarefas diárias. Em alguns países, 10 % dos que trabalham já o fazem em casa”.

Caso de Sucesso

Um desses exemplos de pessoa bem-sucedida na sua atividade profissional realizada totalmente a partir de um escritório doméstico é o do consultor e professor de estratégias de marketing Mario Persona.

Persona, que aderiu essa nova vida profissional e gastava anteriormente cerca de 3 horas do dia em deslocamento para o trabalho, apontou algumas vantagens do trabalho em casa. “Economia com aluguel de sala, roupas de trabalho, combustível e várias outras coisas que você precisa ter em duplicata quando monta um escritório, como móveis, computadores, conexão à Internet, etc. Hoje qualquer pessoa já tem uma infra-estrutura assim em casa e ela pode ser aproveitada tanto para lazer, como para o trabalho”.

Para o consultor, a pessoa pode também se adequar melhor aos horários do seu biorritmo. “Eu, por exemplo, sou mais produtivo nas primeiras horas da manhã ou até antes do sol nascer, quando meus pensamentos estão mais cristalinos e afiados. Outras pessoas preferem entrar a noite trabalhando, pois são mais produtivas nessa hora. Tudo isso é mais adaptável.”

Onde “mora” o problema

Mas nem todas as pessoas se adaptam em trabalhar somente em casa. Existem situações que levar o escritório para dentro do lar pode afetar o desempenho das funções de um profissional. Algumas pessoas, por exemplo, podem não se adaptar ao isolamento social como a perda dos contatos informais no local de trabalho, bem como a insegurança associada ao trabalho isolado, sem o apoio direto de colegas.

Além disso, para aqueles que trabalham em casa e fazem parte de uma empresa, o afastamento físico do local habitual de trabalho pode levar ao esquecimento do trabalhador em caso de promoções, planos de carreira e prêmios, podendo ser mal avaliado ou mesmo marginalizado em relação aos trabalhadores presenciais. A verdade é que alguns perfis profissionais não se adaptam ao trabalho em casa.

O próprio consultor Mario Persona adverte que trabalhar em casa vai depender muito do tipo de atividade e perfil do profissional. “Alguém que precise receber clientes com regularidade encontrará dificuldades em fazê-lo em casa, pois nem todas as pessoas se sentem bem em ir à casa do prestador de serviços para ser atendida”.

Persona afirma ainda que a falta de disciplina também pode ser um problema. “A pessoa não se pode deixar levar pelo ambiente caseiro e gastar, por exemplo, mais tempo vendo TV do que trabalhando. Essa disciplina não é só do profissional, mas de toda a família, que precisa aprender a conviver com alguém que não estará disponível o tempo todo, embora seu corpo esteja ali bem perto”, afirma o consultor.

Adaptações

Quem trabalha em casa precisa também aprender a dominar a tecnologia. Hoje, quase a totalidade de contatos são feitos pela internet. Além disso, distribuir os horários das tarefas a ser realizadas no decorrer do mês, pode ajudar esse profissional.

Para a jornalista Flávia Crialesse, quem pensa em abandonar o escritório, parcialmente ou completamente, para trabalhar em casa deve passar por diversas adaptações. Veja algumas dicas para esses profissionais.

  • Deixe uma linha de telefone apenas para o trabalho. Se você mantém apenas uma linha para usar no trabalho e para fins pessoais, esqueça! Não dá certo você receber telefonemas que não sejam para você e ter que se dispersar cada vez que isso acontece.
  • Encerre a sua rotina de trabalho sempre no horário que você estipulou. Não faça hora extra, deixe para descansar, você verá como estará bem disposto no outro dia e irá encarar com tranquilidade a jornada de trabalho.
  • Não se esqueça que a disciplina é um ponto chave para continuar trabalhando em casa. Não adianta dispersar-se na hora do expediente. Faça com que a sua jornada de trabalho seja bem aproveitada para dar certo.
  • Faça uma pequena pausa. Não exagere, mas saia pra tomar um ar, ver gente. Não adianta ficar enclausurado o dia todo num escritório e não ter contato com ninguém.

Com o tempo você saberá a dosagem certa e irá se adaptar, encontrando uma maneira ideal de conduzir as coisas em seu local de trabalho. E faça jus ao nome, separe o lar do trabalho e verá como isso dá certo.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Dicas para fazer o trabalho remoto dar certo em sua empresa

Dicas para fazer o trabalho remoto dar certo em sua empresa



Dicas para fazer o trabalho remoto dar certo em sua empresa

A decisão da CEO do Yahoo!, Marissa Mayer, de abolir a política de home office para os funcionários da companhia tomada no início do ano vem causando polêmica mundo afora. Na contramão de muitas empresas, que vêm flexibilizando suas jornadas de trabalho para oferecer aos funcionários mais qualidade de vida, o Yahoo! justificou sua decisão alegando que o trabalho remoto acaba sacrificando “velocidade e qualidade”.

Dicas para fazer o trabalho remoto dar certo em sua empresa

Críticos foram ainda mais severos com Marissa pelo fato de ela ser uma mulher e mãe recente. A executiva voltou ao trabalho apenas 15 dias após dar a luz ao seu primeiro filho e está construindo uma creche dentro do escritório para mantê-lo por perto – um privilégio do qual nem todas as mães do Yahoo! desfrutam.

“É muito difícil fazer uma reviravolta em uma empresa com todo mundo espalhado”, diz Alfredo Pinheiro, sócio da consultoria GGroup. Para o consultor, a tendência é que a empresa retome gradualmente a política de home office após o choque de gestão, para as áreas em que ela fizer sentido. “Ela está arrumando a casa. É uma situação emergencial”, concorda Marina Sell Brik, sócia da GoHome, consultoria em soluções de home office.

Pedimos aos dois especialistas para listarem alguns cuidados que uma empresa deve tomar ao adotar o home office, para evitar dores de cabeça como a que o Yahoo! enfrenta agora. São elas:

Evite uma política muito abrangente

Embora tenha vantagens claras, como o ganho em qualidade de vida – especialmente para quem vive em uma grande capital com trânsito caótico e transporte público lotado, como São Paulo – o home office não deve ser adotado como uma política universal. “Ele funciona bem para algumas funções, principalmente aquelas mais ligadas ao trabalho intelectual, mas não todas. Para quem trabalha na linha de produção, por exemplo, é inviável”, diz Pinheiro. Segundo o consultor, o melhor caminho é avaliar quais são os cargos que se encaixam melhor com a política e não estendê-la a todos.

Avalie o perfil de cada funcionário

Outro aspecto a ser considerado é a disciplina e a capacidade de autogestão de cada profissional. Alguns produzem melhor em um ambiente isolado, outros rendem mais trabalhando no escritório. “Algumas empresas, como o próprio Google, fazem do escritório um ambiente mais livre e flexível para se trabalhar. Essa é uma alternativa a ser avaliada”, aponta o consultor.

Defina métricas

O home office tende a funcionar melhor quando é possível medir os resultados do trabalho que está sendo executado fora do escritório. Para funções atreladas a metas, como vendas, isso é mais simples. Mas é importante ter métricas para acompanhar o trabalho de todos os profissionais que estão trabalhando de casa e verificar se os objetivos estão sendo cumpridos. “Ter tarefas claras, com datas estipuladas, resolve esse problema”, diz Marina.

Ofereça estrutura

Para poder trabalhar de casa, o funcionário precisa de estrutura. Internet, telefonia, computador. A companhia tem de garantir o acesso e cobrir os custos destes equipamentos e serviços. “Mesmo assim, o home office acaba sendo mais econômico. Em grandes cidades, como Rio ou São Paulo, o custo de um posto de trabalho, mais o ar condicionado, o café, o estacionamento, e por aí afora, é muito elevado”, diz Pinheiro.

Equilibre o remoto com o presencial

Ter encontros presenciais é importante para garantir a identificação do funcionário com a cultura corporativa, permitir a troca de ideias e, em alguns casos, agilizar decisões. “Reuniões presenciais costumam ser mais produtivas, porque a dispersão é menor”, diz Pinheiro. Cada empresa deve encontrar o equilíbrio ideal entre o tempo remoto e o tempo presencial. “O ideal é que o funcionário possa trabalhar alguns dias da semana de casa e alguns do escritório, para não perder o contato. O mix ideal varia de companhia para companhia”, diz Marina.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
10 Dicas para montar seu Home Office

10 Dicas para montar seu Home Office



10 Dicas para montar seu Home Office

O home office é uma alternativa cada vez mais comum entre profissionais. A nova organização da economia está indo cada vez mais nesta direção, e é cada vez mais freqüente encontrar exemplos de pessoas bem-sucedidas nas suas atividades profissionais executadas parcial ou totalmente a partir de um escritório doméstico. Ter um escritório em casa pode trazer muitas vantagens para o empreendedor.

Se você já tem o seu home office, que tal melhorá-lo? Um pouco de revisão e planejamento pode tornar o seu ambiente profissional doméstico muito mais efetivo, sem perder as vantagens de trabalhar dentro de casa. Lembre-se que um home office, antes de tudo deve ser funcional.

10 Dicas para montar seu Home Office

10 Dicas para montar seu Home Office ideal

Veja abaixo 10 dicas para compor o escritório ideal na sua casa ou apartamento, e acrescente suas próprias dicas nos comentários!

Pare para pensar no seu ambiente: é iluminado? Arejado? A temperatura é aceitável? Como está o isolamento acústico? Um painel colorido, uma cortina, uma janela aberta, uma luminária, um espelho grande na parede, um quadro, um relógio na parede, um circulador ou um quadro de avisos (mesmo que seja para você mesmo) podem lhe fazer avançar vários pontos no conforto ambiental.

Alimente-se melhor: já que você trabalha em casa, aproveite: estruture seu horário de forma a poder ter um bom café da manhã, e um almoço caseiro várias vezes por semana. Estruture-se, organize-se, aprenda a comprar os ingredientes certos e a congelar pratos, se necessário. Sua saúde agradece, a qualidade de vida comemora, e até o bolso pode ficar feliz! Nos dias de pressa, saiba acelerar a comida!

Redistribua os móveis e objetos: Eu já disse antes, mas vou repetir a dica: pense no modelo adotado por um piloto de avião comercial: os instrumentos mais importantes para seu trabalho estão localizados exatamente à frente da sua posição usual de trabalho, e os demais ficam dispostos radialmente a partir deste núcleo, de modo que ele se desloca o mínimo possível para realizar seu trabalho. Não esconda dentro de armários distantes as ferramentas que você usa no dia-a-dia, nem desperdice o espaço das áreas mais nobres à frente da sua posição de trabalho.

Fuja do aperto: ao redistribuir os móveis, preste atenção: há mobília no seu espaço de trabalho que você não usa para trabalhar? Que tal tentar movê-la para outro local, dando mais espaço para a sua atividade profissional? Verifique também se sua mesa, cadeira, estante, arquivo ou monitor não são menores do que deveriam ser para permitir o trabalho com conforto e organização – e planeje sua substituição, se necessário.

Acorde mais cedo: acordar cedo vale a pena, e fica mais fácil se você desenvolver o hábito de dormir bem. Um pequeno truque pode ajudar!
Atitude ecológica: vá tão longe quanto for possível e prático. No mínimo, reuse os clips e folhas de papel, apague as luzes ao sair, e desligue os equipamentos quando não estiverem em uso!

Arquive direito os documentos: Para ter um escritório pessoal em que as coisas não somem, no mínimo, você precisa de gavetas e de uma boa estrutura de arquivamento organizado de documentos e papéis em geral. Se quiser fazer apenas o essencial, um arquivo de pastas suspensas econômico, com estrutura em plástico ou aramado, custa menos de R$ 50 nas papelarias, e continua sendo útil por anos e anos a fio. Uma boa estrutura inicial é considerar uma pasta para cada um dos projetos em que você estiver envolvido, e mais algumas pastas extras para arquivamento das suas categorias de materiais de referência.

Organize os cabos: eu já compartilhei a minha receita para manter os cabos sempre no lugar, acessíveis e fora do meu campo visual, mas você pode fazer algo similar gastando ainda menos, com alguns fixadores feitos de nylon ou velcro que você encontra em lojas de utilidades domésticas.

Atenção às telecomunicações: Comunicar-se com clientes, parceiros e fornecedores exige um telefone, e eventualmente um fax. Considere avançar na digitalização, usando bem recursos como VoIP (incluindo Skype e similares, mas também serviços mais complexos), e-mail e web. Mas se você trabalha sozinho, ter uma secretária eletrônica (virtual ou não) e um aparelho telefônico que permita circular livremente e manter as duas mãos disponíveis é essencial. Eu recomendo um telefone sem fio com secretária eletrônica digital, identificador de chamadas e entrada para fone de ouvido/microfone – é suficientemente barato, você não perderá mais nenhum recado ou oportunidade de retornar a ligação, e poderá andar pela casa falando, com ambas as mãos livres, quando necessário.

Considere a ergonomia: evite a tendinite e os problemas de visão! Coloque a mesa e a cadeira na altura e posição certa, evite sombras e brilhos excessivos, posicione bem o monitor, o teclado e o mouse, e faça pausas regulares, no mínimo.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
Como separar o Home do Office, de sua vida pessoal

Como separar o Home do Office, de sua vida pessoal



Como separar o Home do Office, de sua vida pessoal

Só porque você trabalha para você mesmo, em seu confortável home office, não significa que tenha que ter um estilo informal, anti–profissional, de segunda categoria ou de pouco valor! Pior ainda: deixar que seu home office seja sinônimo de tempo disponível para tudo e para todos é uma afronta à sua  competência.

Dito isto, o importante é saber que em seu home office você está no comando de sua pequena empresa, real ou virtual, e tem que pensar e cuidar de todos os detalhes. Por trás de tudo, é o seu nome que fica na frente, em evidência, e disso você não pode esquecer.

home office

Então, que tal pensar um pouco em coisas que poderão dar um certo sentido profissional a seu trabalho em casa?

Aqui vamos nós:

Pesquise sobre o mercado

Vale tudo para saber mais sobre seus competidores: conversar com outras pessoas que trabalham por home office, ler revistas, navegar na internet e até mesmo participar de comunidades profissionais no Orkut. Visitas a livrarias de vez em quando são recomendáveis.

Pense em dinheiro sim

E com atenção, pois em um home office você provavelmente não terá garantias salariais por mês nem benefícios. Assim, faça as contas e descubra de quanto por mês você necessita para se manter – custos fixos e variáveis – e trabalhe para isso. Caso seja por RPA, defina com a empresa que pagará por seus serviços um valor que já inclua os gastos com esse recibo (11% de INSS + alíquota de IR).

Invista em você mesmo

Trabalhar em casa significa cuidar de seus (próprios) negócios em tempo integral. Assim, não hesite em se aperfeiçoar estudando muito, lendo muito (livros, revistas de negócios, semanários e jornais todos os dias!), fazendo cursos ou especializações, indo a feiras e eventos e buscando informar–se sobre cada detalhe de sua área de atuação.

Fale com sua família

Converse com as pessoas que moram com você, sejam pais, irmãos, esposas, maridos etc. Mesmo que você more só, é bom também se comunicar. Conte sobre o seu trabalho em sua casa da forma mais profissional possível, como tem que ser. Afinal, a valorização começa mesmo por você.

Formate seu home office

Para isso, basta arrumar um canto em sua casa. Mas, se é para começar, seja simples e realista. Invista apenas no básico e necessário, seja em móveis ou equipamentos. À medida que as coisas forem melhorando e se desenvolvendo, seu home office poderá seguir o mesmo caminho, não o inverso!

Abra uma conta apenas para seus negócios

Caso não consiga separar as finanças pessoais das de seu trabalho, essa é uma boa opção. O importante é não cair no cheque–especial ou ficar no vermelho.

Faça cartões de visita

Para começar, uns 100 cartões bastam. Mas que seja algo bem feito, profissional, com o logotipo de seu site ou empresa. E se livre deles! Porque, afinal, nunca se sabe se um encontro informal qualquer poderá ser seu próximo grande negócio. Mais: os clientes gostam disso.

Tenha seus conselheiros

Ou seja, algumas pessoas de sua inteira confiança que possam dar uma ajuda informal em questões relativas à forma de atuar nos negócios, sua apresentação, formas de abordagem, tratamento aos clientes, dicas diversas etc. Uma visão externa sempre ajuda, mesmo que não seja (e muitas vezes é melhor mesmo que não seja) de especialistas no assunto.

Envie um release

Ou um simples e–mail, bem feito e bem escrito, falando de sua empresa, seus negócios ou seus serviços. Consiga e–mails de gente que trabalha em áreas relacionadas a sua e faça uma apresentação convincente. Seja seu melhor vendedor.

Escreva sua proposta

E defina quais são os objetivos e a atuação de seu trabalho. Você também poderá decidir qual é sua missão, a sua visão e quais são os seus valores. Se preferir algo mais detalhado, escreva um plano de negócios (os conhecidos business plans). Profissionalização é isso aí!

Tenha um website

De preferência, com seu próprio domínio. É a grande diferença entre uma apresentação mais atraente e profissional e uma simples página na internet. Ou seja, é sua casa virtual, e deve ser a melhor possível. Existem no mercado hoje provedores que cobram bem pouco – abaixo de R$ 20 por mês – para hospedar sites.

Promova você mesmo

Dedique alguns minutos por dia a divulgar seu trabalho. Se não der para pagar por anúncios, ao menos faça questão de ter seus dados em sites de organizações ou empresas que participam ou ajudam a regulamentar sua profissão. Muitas têm áreas destinadas a revelar quem são os profissionais no mercado, uma espécie de “quem é quem”. Pense em criar um blog.

Networking

Sempre conte às pessoas onde está você e o que está fazendo. Apareça para ser sempre lembrado. Vale participar também de listas de discussão na internet, dentro de sua área de atuação. E se lembre sempre de assinar seus e–mails com: seu e–mail, home page e/ou telefone.

Use sua marca

Para começar a conscientizar as pessoas/empresas de contato, ainda que de forma tácita, que você tem uma – mesmo que em home office. Então, faça isso, por exemplo, criando documentos com cabeçalho e rodapé que levem o logotipo, website e e–mail. Assim você contribui para dar mais charme e valor ao seu trabalho.

Evite interrupções sucessivas

Assim, você se concentra no que faz e obedece bem aos prazos e metas. Ou você acha que só porque está emhome office não precisa delas? Faça por você mesmo e defina o momento certo para ler e responder e–mails e atender ou fazer ligações. O caminho para uma rotina estressada é atender a todos os telefonemas a cada instante (claro, você precisará de uma secretária eletrônica ou de um celular com voice mail) e ficar patrulhando a sua caixa de entrada no seu programa de correio eletrônico preferido. Pense nisso. E em seu trabalho também. trabalhar em casa exige disciplina.

Tenha pensamento positivo

Não deixe emoções negativas – como culpa, ansiedade, medo e preocupação – invadirem sua mente, principalmente quando você está trabalhando. Pare, olhe para o lado e pense no que poderá aprender de determinada situação quando as coisas não vão tão bem como deveriam. Identifique seus erros e saiba como fazer diferente e melhor da próxima vez, gerando pensamentos proativos e positivos.

Diga não

Às pessoas que pensam que seu tempo em home office é pura diversão. Fazer tarefas domésticas, ser motorista de alguém ou servir de ouvidor para as mágoas alheias durante seu momento de trabalho não dá. Diga, com educação e gentileza que, quando você está trabalhando, você trabalha. E se perguntarem a você o que faz em casa, diga simplesmente que está trabalhando.

Realize-se

Faça de seu trabalho em home office sua verdadeira realização profissional, sua paixão, não uma saída para a falta de empregos ou para não fazer nada. Crie um verdadeiro lema de qualidade total para você mesmo, procure fazer sempre melhor, busque novos clientes e pense a cada dia em maneiras de crescer e se desenvolver profissionalmente, melhorando seus negócios.

E você qual a sua experiência em trabalhar em casa? Deixe o seu comentário.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
O que é Royalties e Fundo de Propaganda?

O que é Royalties e Fundo de Propaganda?



O que é Royalties e Fundo de Propaganda?

Royalties é uma taxa que o franqueado paga para o franqueador, pelo uso da marca patenteada.

É acertada entre as partes a forma de pagamento, se será realizado o acréscimo em cima do valor de vendas dos pontos ou em cima do percentual de compras feita pelo franqueador para o franqueado.

franquia - royalties

Quando é feito o pagamento em cima do total de vendas mensal do ponto do franqueado, isso dificulta a transação, pois é feito um cálculo em cima do volume médio de vendas, independente se o franqueado atinja esta meta no mês ou não. Além de o franqueador ter acesso a todos os dados de venda do ponto.

Normalmente muitos franqueadores, fazem o cálculo em cima do percentual de compras, quando ele é responsável pela compra de material para o ponto do franqueado claro, assim é um valor fixo, pende a ser um pouco maior do que os demais.

Pode variar entre 20% a 40% encima do total de produtos comprados para a unidade.

De onde vem?

O termo Royalty deriva do inglês e significa, “da realeza”, que sugere coisas que pertençam ao rei.

Este termo era aplicado antigamente quando se referiam ao direito que o rei tinha de receber de seus súditos, pagamentos sobre o uso de suas terras, como se fosse uma indenização, mas que se estendia apenas a recursos retirados da terra do monarca.

Este conceito que ganhou consistência no séc. XX, abrangendo outras áreas. Sendo denominada por um recurso natural ou uma marca que foi patenteada.

O que é Fundo de Propaganda?

Fundo de publicidade ou propaganda, é uma taxa cobrada do franqueado por todo o material de divulgação e publicidade de sua franquia, envolve todo material, propaganda, folders etc.

Esta distribuição e compra é feita pelo franqueador, que através desta taxa cobra do franqueado, sua parcela nesta despesa.

Esta cobrança é acertada entre as partes, e pode ser feita pelo valor total de vendas do mês ou no percentual de compras do franqueado no mês.

Esta arrecadação só se torna viável, quando o número de franquias abertas no total, conseguem suprir a arrecadação necessária para cobrir esta despesa.

Por isso é muito importante incutir em todos os franqueados, a idéia da propaganda do negócio, de como é importante e qual impacto tem sobre as vendas.

Para sua arrecadação pode ser feita de duas formas:

  • Através do Percentual de vendas: Uma opção de arrecadação pelo faturamento das unidades franqueadas. Não é um método muito aconselhado, pois o franqueado pode alterar o sistema de arrecadação, informando um faturamento menor do que realmente foi faturado, e assim prejudicando todo o sistema da empresa.
  • Através do Percentual de Compras: Isso serve tanto se o franqueador compra todo o material utilizado pelo franqueado, ou se for usado o mesmo fornecedor para tudo. É calculo o percentual encima das compras da franquia no mês.

É importante frisar, que depois da verba ter sido arrecadada, é preciso contar com uma equipe de profissionais especializados para poderem investir corretamente, pois nem sempre o franqueador tem as ferramentas ou pessoal para isso.

E assim o franqueado fica mais próximo do sistema do franqueador, participando assim de todo seu ciclo, principalmente na alma do negócio, a propaganda.

Se caso você decidir abrir uma franquia, você deve tirar todas as suas duvidas referente a Royalties e fundo de propaganda com a sua franquia, para que não fique nenhuma duvida.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!
O que fazer e não fazer na hora de abrir uma franquia?

O que fazer e não fazer na hora de abrir uma franquia?



O que fazer e não fazer na hora de abrir uma franquia?

Muitas pessoas querem trocar de carreira, dar uma guinada na vida radicalmente, principalmente financeiramente e acabam optando por abrir um negócio.

Neste momento pensamos em franquias, negócios praticamente prontos que possam ser expandidas, seu custo é bem diferente de um negócio do zero, possui público próprio, além de uma marca reconhecida e de uma campanha publicitária de valor.

Mas é neste momento de sonhos que não podemos nos esquecer de certos pontos, e acima de tudo sermos cuidadosos.

Por estarmos ansiosos, acabamos metendo os pés pelas mãos, e aquilo que poderia se tornar um negócio próspero acaba por ir à falência mais rápido do que abriu.

E principalmente não se esquece de ser acompanhado por um advogado ou ter um consultor, que possa lhe passar as melhores dicas possíveis.

analisar franquia

Entrar em um negócio leigo é a pior coisa para um investidor.

O que não fazer?

  • Não deixar de pesquisar: Deixar de entrar em contato com outros franqueados, tanto ex como atuais, para saber mais sobre a franquia internamente e sobre o franqueador.
  • Não avaliar números: Deixar de analisar números que foram entregues pelo franqueador, para saber se o investimento solicitado é compatível com o faturamento médio.
  • Acordos sem contratos: Firmar acordos verbais, sem ter em vias de fato um contrato é um sério risco, tudo que for combinado deverá estar por escrito, é uma defesa tanto para o franqueado, como para o franqueador.
  • Mudar a empresa: Esqueça, não há a possibilidade de mudar as regras da franquia, principalmente em taxas como publicidade e royalties. Opte por uma franquia, onde as regras que cabem para todos são adequadas para você. Isso é um perfil que se encaixa na franquia.

O que fazer?

  • Questione Custos: Questione todos os custos que terá ao abrir uma franquia, não apenas o custo inicial. Calcule tudo, capital de giro, funcionários, equipamentos, ponto comercial. Inclusive até o custo para manter a franquia enquanto está em fase de adaptação e ainda não consegue se manter sozinha.
  • Qual seu faturamento e lucro: Questione sua margem de lucro líquido, e qual o faturamento mensal aproximado que a franquia poderá atingir. Com este analisará a rentabilidade da franquia.
  • Analise Contratos: Verifique a duração do contrato e como é sua renovação. Pois dentro do prazo de contrato e sua renovação, normalmente é o tempo que o franqueado tem para reaver o investimento financeiro na franquia.
  • Verifique o Perfil: Você possui o perfil esperado para ser um franqueado? Você entende do ramo, possui afinidade com ele? É necessário se identificar com o negócio que irá gerenciar, não podemos trabalhar em algo que não gostamos, mesmo porque será seu ritmo que colocará a franquia a funcionar. Se faça essas perguntas, para ver se está pronto para este trabalho.
  • Suporte do franqueador: Questione se o franqueador poderá lhe passar todo o suporte necessário, como será o acompanhamento da matriz, quais treinamentos serão ministrados, como será o acompanhamento para problemas operacionais.

Se caso você tiver mais algum tópico que colocaria em nosso artigo, escreve nos comentários logo a baixo do artigo e possivelmente incluiremos em nosso artigo.


VEM EMPREENDER COM A GENTE - CLIQUE AQUI!